sábado, dezembro 15, 2007

Passeio




O barco quase vazio percorria o Tejo lentamente. Apenas duas pessoas mais para além de nós, e essas dormitavam, ignorando a paisagem que se oferecia lá fora. O rio manso de um azul forte, pouco contrastava com o céu de um azul intenso aqui e ali esbranquiçado por um maravilhoso pincel mágico. No varandim onde nos encostávamos o sol era uma carícia morna que adoçava a pele enquanto o rio deslizava aos nossos pés. Ao fundo, uma ligeira bruma esbatia o horizonte mas na margem, Lisboa brilhava sob um sol cru que fazia realçar os contornos dos telhados encavalitados nas colinas. Na outra margem, inversamente, dissolvia-se a paisagem numa amálgama confusa de verde e luz. A ponte, vista deste ângulo, tornava-se numa construção imensa que nos aprisionava na nossa enorme pequenez. Passa sobre a nossa cabeça ocultando por momentos o sol, para logo em seguida a vermos distanciar-se lentamente redimensionando-nos de novo.


Lisboa aproxima-se a passos largos. A beira-rio acolhe-nos com os seus reflexos. A luz brilhante fica lá para trás e é ao verde dos jardins que nos rendemos agora. Os passos acomodam-se ao conforto dos pensamentos felizes e é lentamente que conquistamos a tarde que se avizinha. O Padrão dos Descobrimentos enfrenta o rio com a mesma ousadia com que antes enfrentou o passado glorioso ainda hoje guardado naquelas enormes pedras. Há gente que passeia por ali e outros que descansam no paredão aquecido pelo sol. Pequenos barcos desfilam entre as duas margens, as velas brancas enfunadas com orgulho.


Lá no cimo do monumento a vista alcança um maior horizonte. Apetece ficar e saborear cada margem. Apetece fechar os olhos e gozar a carícia deste sol doce de inverno. Apetece ... parar o relógio e ficar para sempre neste único-minuto-presente.


Abro os olhos e registo tudo. Guardo as cores, as sensações e o ruído da cidade. Gravo na pele o calor e a suave brisa que o rio envia. Gravo no olhar a luz e na memória o travo e os aromas.


Guardo tudo com cuidado para que mais tarde, as palavras surjam exactas ... claras ... e de novo o dia se recrie.




(Este passeio ao Padrão dos Descobrimentos teve como objectivo visitar a exposição de fotografia de Pedro Mota "Quatro Ventos Sete Mares", ali patente até 31 de Dezembro 2007, que recomendo.)
(Fotos minhas)

32 Comments:

Blogger Maria said...

... e o dia recriou-se, e o único minuto presente ficou registado nas fotografias que nos deixas.....
Obrigada, Dulce.

Beijo

3:19 da manhã  
Blogger maria carvalhosa said...

Bonito texto, querida Dulce. Já tinha saudades de te ler. A tua escrita é suave, lê-se como quem pega num "origami" com admiração e ternura, pelo delicado trabalho nascido do sentimento. Transformas emoções em palavras leves, doces, que apetece não parar de ler porque criam, em si próprias, e por causa delas, um clima de harmonia e paz interior. Em redor de si, também.

Um beijo com carinho, minha amiga.

3:26 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Sem sair de Santa Cruz fiz um maravilhoso passeio contigo.
Obrigado pela companhia.

Bjs.

Escrevi

9:11 da manhã  
Blogger Poesia Portuguesa said...

Excelentes fotos e ainda melhor texto!

Tens um desafio no meu Blogue.

Dar-me-ás o prazer de aceitar?

Um abraço carinhoso ;))

3:00 da tarde  
Blogger rui said...

Olá Dulce

Lindo!
E as palavras surgiram-te exactas, claras, com ritmo e cadência formando frases que me afectam, como se estivesse a ouvir música e, assim recriaste uns inesquecíveis momentos de um belo dia.
Adorei!
As fotos estão óptimas.

Abraço

6:30 da tarde  
Blogger Kalinka said...

Vou começando, aos poucos a deixar umas imagens alusivas ao Natal.
Estamos em contagem decrescente. Mas, vou sabendo de coisas, e gostaria de as divulgar, quem sabe, vos possa interessar alguma delas?
Daí que o título seja:
SABIA QUE...

Dulce
As fotos estão belas, o texto excelente. Como sempre, fico alucinada com a tua escrita...

FESTAS FELIZES.

7:41 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Imagens fantásticas... um texto... como sempre, que me é difícil comentar.
Desculpa-me a ausência...
Bjks.

11:05 da tarde  
Blogger Mariamar said...

A anónima sou eu...

11:09 da tarde  
Blogger Nilson Barcelli said...

Um belíssimo texto para descrever um local sempre bonito.
Bem sublinhado, de resto, pelas tuas fotos.
Bfs, beijinhos.

11:33 da manhã  
Blogger perplexo said...

;)

1:43 da manhã  
Blogger mena m. said...

Apetece fechar os olhos e gozar a carícia deste sol doce de inverno

Foi o que fiz, deixei-me embalar nas ondinhas mansas das tuas palavras, voltei a ser pedrinha de beira Tejo e acho que até ganhei um pouco de cor...

Um beijinho

P.S. as fotografias são lindas!

8:01 da manhã  
Blogger FERNANDA & POEMAS said...

Olá Dulce, excelentes fotos e texto magnífico.
Beijinhos.
Fernandinha

3:09 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

belo texto e belas fotos.
Feliz Natal para a Dulce e para todos os leitores

Um beijo

5:43 da tarde  
Blogger Vb said...

Sempre a mesma qualidade...

Beijinho

10:16 da tarde  
Blogger H. Sousa said...

Viva, Dulce! Passo para desejar um Bom Natal, e saber se já publicaste. Estou ansioso.
Beijos

10:31 da manhã  
Blogger Pepe Luigi said...

Passei para desejar-te um Feliz Natal, uma boa passagem de ano cheia de alegria paz e amor e são também votos meus de um Bom Ano de 2008.

11:29 da manhã  
Blogger augustoM said...

Sem vir de barco, cheguei para te desejar um Feliz Natal.
Um beijo. Augusto

1:50 da tarde  
Blogger poetaeusou . . . said...

*
viagem´
do achamento de,
" quatro ventos sete mares"
*

8:06 da tarde  
Blogger A. Jorge said...

A maravilhosa maneira como fazes o relato deste passeio, fez com que eu visualizasse ao pormenor toda a viagem, e... é claro, adorei!

Um beijo

Jorge

http://vagabundices.wordpress.com/

9:51 da tarde  
Blogger bettips said...

É um lugar poderoso, toda aquela envolvente de água e pedra!
Senti-me de novo lá, com as palavras e as tuas fotos de suavidade. Obg e beijinhos, Dulce. (Que o SOL te brilhe)

11:50 da tarde  
Blogger Sophiamar said...

Uma escrita fluente, pintada por quem da arte percebe. Naveguei contigo, senti o cheiro do Tejo, o bulício da beira-rio mas não entrei no Padrão. Para grande pena minha.
Beijinhosssss

Bom Natal

10:17 da manhã  
Blogger wind said...

Boa descrição, excelentes fotos.
Beijos

12:00 da tarde  
Blogger anatema said...

Qué surte tienes, tenéis todos los que vivís en Lisboa al disfrutar de ese tibio sol de invierno junto al Tajo.

Aquí nos han llegado los rigores del invierno, duro y áspero aunque se nos derrita el corazón.

Bellísimas tus fotografías como bellísimos y sentidos tus textos.

Te deseo, igualmente, unas felices fiestas navideñas junto a los tuyos que tanto te aman y necesitan.

Concha

11:15 da tarde  
Blogger Dad said...

Que o Natal, o verdadeiro, não o dos Centros Comerciais, possa constituir um momento de introspecção que nos leve a ser melhores e a entender os nossos Irmãos caminhantes desta terra.
Que una as famílias e os amigos e ajude a perceber o propósito da nossa vida aqui, nesta
Terra que é de todos mas que, infelizmente, só alguns usufrem a seu belo prazer.

Um abraço,

1:11 da tarde  
Blogger Su said...

gostei deste passeio,,,,que acabei de dar ..contigo.....

jocas maradas...sempre

9:12 da tarde  
Blogger rui said...

Olá Dulce

Venho desejar-te um Bom Natal.
Que reine a Alegria, a Paz e o Amor.

Grande Abraço

12:43 da tarde  
Blogger Besnico di Roma said...

Um Santo Natal na companhia de quem te é querido e que o Ano 2008 te traga a felicidade que mereces.
Um beijo

2:00 da tarde  
Blogger João C. Santos said...

Um registo sem saudade, guardam-se as memórias de um tempo sem horas

4:23 da tarde  
Blogger Sophiamar said...

Desejo-te um Natal recheado de alegria, saúde, pão na mesa, paz..

Mil beijinhossss

5:01 da tarde  
Blogger Bichodeconta said...

QUE DELICIA DE CONTO... DEIXO UM ABRAÇO E DEIXO O DESEJO DE QUE O SEU NOVO ANO SEJA DE PAZ E AMOR.. UM BEIJINHO, ELL

7:56 da tarde  
Blogger FERNANDA & POEMAS said...

Olá Dulce, passei para dizer-te que deixei uma prendinha no Fotos-Fernanda.
Muitos beijinhos,
Fernandinha

9:26 da tarde  
Blogger Vanadis said...

=) nunca sei o que dizer...dizes sempre tudo, e tão bem... =)

FELIZ NATAL!!!

2:37 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home