quinta-feira, outubro 25, 2007

Desabafo


Há dias em que tudo me desilude e assim hoje atrevo-me fugir à minha escrita habitual. Não, isto não é, nem pretende ser um diário. Já passei a época em que escrevia um. Também o tive até aos doze ou treze anos - um daqueles com capa almofadada e direito a cadeado. Belas e trabalhadas letras douradas a dizer "O meu Diário". Perdurou até ao dia em que a minha mãe o abriu e tomou conhecimento do meu namorico da altura, mas isto não vem realmente ao caso ...
O que interessa é que este espaço se tornou num veículo onde, normalmente em dias insatisfeitos, destilo aquilo que me vai na alma de uma forma mais ou menos poética. Mais ou menos trabalhada. Mais triste e definitivamente mais azeda.
Hoje não. Quero esquecer por um dia as formas literárias de escrita e queixar-me apenas! Fazer birra até, se tal me fôr permitido. Porque não? Cinquenta e um anos dá-me o direito de fazer birra. Bater com a porta! Dizer palavrões! E há dias em que nada menos que isto me apetece. E porquê, pergunta agora quem me lê já cheio de curiosidade? Tudo isto porque há certas particularidades nos indivíduos que me irritam sobremaneira sendo elas, a irresponsabilidade, o encolher de ombros perante uma decisão a tomar, a falta de consideração pelos outros. E também a enorme auto-estima que alguns têm que os faz pura e simplesmente ignorar os outros, apenas agindo em prol de si próprios e do seu imenso egoísmo.
Foram todas estas características dos indivíduos que me rodearam hoje que me levaram ao estado de irritação em que me encontro, mas como sou uma pessoa pacífica que entendo que não devo agredir quem me agride, antes devo manter o meu auto-controle e racionalidade, tenho por consequência ficar em estado interior de irritação-que-ameaça-descambar-num-mar-de-lágrimas ou na falta da tal racionalidade, com uma vontade de dar um murro em qualquer coisa ou de dar um berro a alguém.
Pronto, ficaram assim a conhecer este meu lado que tenho vindo com tanto cuidado a ocultar e ainda com a desvantagem de não ter melhorado a disposição depois deste desabafo.
Depois disto, por favor digam-me qualquer coisa simpática, pelo menos para eu ficar mais bem disposta ao acordar!
(Imagem do Google)

24 Comments:

Blogger Maria said...

BOM DIA!!!!!!!
Está um sol lindo. Que tal um passeio para ver o mar?

Beijo, Dulce

12:45 da manhã  
Blogger AnaG. said...

Nem imaginas o susto que apanhei quando aqui cheguei. Tenho um post em rascunho com esta mesma imagem e ainda por cima pelos motivos que mais ou menos referes, mas depois resolvi não o publicar
Hoje em resposta a um comentário da Maria P. eu dizia que não me apetecia susurrar, mas gritar.
Há coisas muito esquisitas, por aqui....
:))
Já vi que também foi um dia mau para ti...Mas não desanimes, outros melhores virão...
Amanhã, vai estar um sol lindo...

Beijitos

1:36 da manhã  
Blogger Carminda Pinho said...

Dulce,
espero que essa "revolta-raiva" interior já tenha passado.
Há realmente pessoas assim que têm o condão de nos pôr fora de nós e, se o nosso feitio é de engolir, (também sou assim) sofremos em dobro. Pela situação em si e, por que não fomos capazes de mostrar essa revolta a quem devíamos.
Amanhã vai ver que está melhor se não, junte 2 ou 3 amigos(as) e faça uma "farra", divirta-se, ria muito.
Beijinhos :)))

3:16 da manhã  
Blogger Ana Fundo said...

Atão amiga??? o que se passou???
Diz-me diz-me quantos são??? quantos são que eu vou-me a eles, carago!!!!!
:-)
Já sabes que podes contar comigo para o que precisares, né????
Jokas linda

11:04 da manhã  
Blogger despertando said...

Costuma-se dizer que melhores dias virão.
E com certeza que já estás bem melhor, além disso é sexta feira e o solinho espreita.
Bom fim de semana.
:)

11:27 da manhã  
Blogger Perdido said...

Não sei em que dia estás, mas penso que estás no mesmo que o meu. Espero que sim, desconfio muito das comunicações assíncronas.
Eu estou na mesma onda e, vê lá, ninguém me irritou. Consegui irritar-me sozinho. Agora não tenho em quem bater. Sim, porque eu não vou em racionalidades e bem-comportadices: é logo a arriar! E não oculto nada porque só tenho um lado. Tornei-me bi-dimensional: comprimento e largura. Cada vez menos comprimento, cada vez mais largura. São os 59. Ai quem me dera ter 51! Mas somos nós que passamos, não é o tempo. Já não faço passa-tempos, faço passa-perdidos, por exemplo, puzzles. Vamos lá reconstruir o perdido, digo de mim para mim. E lá estou, nas calmas, controlado e concentrado, a encaixar as peças uma na uma. Se no fim tudo bate certo sai Guernica. Um olho para aqui, uma orelha para ali. É o desconcerto do mundo. E o seu desconserto.
Fizeste bem em desabafar. E como escreves muito bem, desabafaste por escrito. Por escrito e por correio registado. E sem formas literárias de escrita. Hoje já pouca gente se preocupa com isso. O importante são as formas literárias de ler.
Pedes uma coisa simpática. Que poderá ser? Um beijo com muita ternura.
Arriba amiga, que a tua irritação já fez esquecer a minha.

11:38 da manhã  
Blogger augustoM said...

Nesse caso, o melhor é ir à janela, abrir a vidrassa, inspirar fundo, para o peito a transbordar de ar sirva de sopro violento e gritas "filhos da puta"!
- O que é que disseste? Perguntam eles supresos e tu respondes:
- Queridos como eu vos adoro!
Um beijo. Augusto

1:38 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Pois eu estou mais na onda do Augustom.
Já experimentaste mandá-los à merda?
Dar um murro na mesa, ou na porta, dependendo do sítio onde estejas e dizer para irem chatear a mãezinha deles (afinal é essa uma das funções de mãe).
Diz!!
Ou então, para os deixares ainda mais baralhados, grita!
Quando te encontrares com um desses seres que referes e ele calmamente não te der ouvidos, solta um grito, bem alto, sem mais palavras e vais ver a cara de espanto e susto com que fica.
Experimenta e depois descreve-me a cara que fez.
É que eu já fiz isso e não imaginas o gozo que dá.
Ficas logo mais bem disposta.

Bjs.

Apesar da tua neura (que eu respeito) gostei do que postaste ou de como descreveste a tua frustação.

Escrevi

4:40 da tarde  
Blogger Cusco said...

Olá!
Nestes momentos em que tudo é difícil de engolir, em que uma guerra enorme nos rasga as entranhas podemos sempre saltar para dentro do nosso diário, sentir o suave aconchego das suas letras almofadadas…e jogar a chave fora!
Beijinho e um bom fim-de-semana!

5:06 da tarde  
Blogger Isabel said...

Olha Dulce não escondas mais essse teu lado porque é lindo igual aos teus outros lados.
Sabes eu sou assim como tu e por isso vejo-me frequentemente na mesmissima situação, tentando controlar a minha furia a minha revolta por lidar tanto com gente assim. Tal como tu tento manter-me calma e puxar o lado racional de mim mas por dentro a vontade de bater na mesa ou de lhes bater a eles confude-se com a vontade das lágrimas que teimam chegar-me aos olhos.
Já aconteceu. Chorar à frente deles, não conseguir controlar o choro, antes tivesse acontecido dar-lhes um murro bem assente podia ser que nunca mais nos fizessem chorar, a mim a ti e a outros como nós.
Gostei dessa Dulce que acabaste de mostrar, mai nada!
Tenho dito!

Muitos beijinhos

5:20 da tarde  
Blogger poetaeusou . . . said...

*
esta é a Dulce,
saudosa em mim,
,
até apetece cantar,
,
foi p'ra lá no benformoso,
numa tasca mal afamada ...
*
muitos bateres de portas,
ressonantes no meu mar,
*

6:02 da tarde  
Blogger Teté said...

Se todos perdessemos as estribeiras sempre que alguma coisa nos irrita, acho que andávamos todos no pugilato diariamente.

Mas sim, acho que tens direito a mandá-los para a outra banda ou dizer um palavrão mais ofensivo de vez em quando.

Essas características que enuncias são extremamente irritantes, mas hipocrisias e cinismos também não ficam atrás.

Mas pronto, estamos em fim-de-semana, relaxa, dá um passeio a uma praia ou a um jardim, lê um livro e descontrai...

Jinhos e bom fim-de-semana!

9:10 da tarde  
Blogger Luis Eme said...

Como tenho o sangue quente e raramente levo "desaforo" para casa...

Claro que isto tem os seus custos. Ganham-se sempre uns inimigos de estimação. Por outro lado, é tão bom "viver" sem hipócritas à minha volta...

Conheço pessoas como tu e sei o que sofrem, por não quererem ferir os outros, mesmo quando têm razão.

Acho que pelos teus 51 anos, já devias ter dado o "grito de ipiranga".

10:41 da tarde  
Blogger Paula Raposo said...

Uma coisa simpática para dizer não estou a imaginar! Mas digo-te que eu bato logo em alguém e digo todas as asneiras que sei!! E aí...lolol que alívio! Beijos.

2:58 da tarde  
Blogger Aldina Duarte said...

Uns berros no meio duma serra, ou sob a ponte 25 de abril, ou numa praia ao entardecer, pode ser muito libertador, digo eu!?

Até sempre

8:10 da tarde  
Blogger Su said...

menina esperimenta gritar e dizer td o que te vai na alma.....

jocas maradas de mimos

9:15 da tarde  
Blogger mfc said...

O Direito à Indignação continua em vigor!
Um beijo.

11:27 da tarde  
Blogger viajante said...

Aproveito a deixa da Aldina.A Serra pode ser a de Sintra. A praia a das Maçãs, Grande, Adraga ou outra mais perto.
GRITA... e depois acalma.
Bjs

8:32 da tarde  
Blogger sOl said...

Bem,acho q n há nd q possa dizer para faê-la sentir melhor pq qd estamos assim desiludidas com atitudes de pessoas n há nd q ninguém possa dizer.
Infelizmente há msm pessoas assim q nos vão aparecendo na vida.E o melhor é ignorá-las e seguir em frente pq não podemos fazer nd para as mudar...
Espero q td melhore...




sOl*

8:49 da tarde  
Blogger Isabel said...

Gostei de ver que tiveste a coragem de te desnudar, tirando esse manto que te ajuda a camuflar todos aqueles sentimentos que preferes guardar para ti.
Hoje, apareceu-me uma Dulce que, tal como eu tem, por vezes, tem vontade de dar um murro na mesa, gritar o que lhe vai na alma, ocultar indisposições...mas, normalmente, ficamos pelo politicamente correcto, sofrendo em silêncio.
Há algum tempo atrás, deixei-me disso e, hoje, solto aquilo que me vai na alma. Sinto-me mais leve.
Gostei desta Dulce; transparece um ser humano bom.
Força, Amiga.

Bjnh

1:45 da manhã  
Blogger Bichodeconta said...

Quando te desnudas , ficas mais tu!! Porque esconder esse teu lado? Não o faças, não reprimas as tuas raivas e desilusões.Desnuda-te, despe-te de sorrisos, porque por vezes é preciso dar uns berros, fazer-mo-nos ouvir.. Estou contigo..um abraço muito grande, sorri, o rio continua ao fundo..

6:33 da tarde  
Blogger Pepe Luigi said...

Dulce,
Um apreço muitíssimo grande pelo teu generoso "eu" escondido que sobremaneira é tão importante como o teu eu com que nos tens habituado.

Um grande beijinho para ti
do Pepe.

9:18 da tarde  
Blogger Carminda Pinho said...

Olá Dulce,
Tens um desafio lá no Forum Cidadania.
Obrigada pela colaboração :)
Beijinhos

12:34 da manhã  
Blogger Vanadis said...

Hi, rapariga, nem imaginas como me revi nas tuas palavras. Tenho imensos dias desses, totalmente cheios de irritação provocada pelo contacto com seres que se têm em demasiada conta, com o egoísmo e má-educação, com a falta de civismo...basta-nos enfiar no carro e andar meia duzia de metros para nos irritarmos logo...

Espero que a altura deste comment te apanhe mais aliviada.
E os blogs tb servem para espancar pontos de vista que nos irritam!! Fora com as formas gramaticais e literárias e chuta aí um ganda murro, vai!! =)

Muitos beijinhinhos carregados de energia mental positiva (como me costuma dizer a mia mae).

4:55 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home