domingo, setembro 30, 2007

(des)esperança

nas mãos
o abandono

no olhar
o vazio

na boca
a dúvida


e no entanto

ainda espero alcançar-te.
vida

18 Comments:

Blogger Alecrim said...

E vais alcançar.

12:02 da manhã  
Blogger mfc said...

Tens muita pela frente , mas fá-lo sempre com um sorriso.

12:35 da manhã  
Blogger viajante said...

Alecrim disse...
Bj

7:35 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Às vezes não basta esperar...
O Chico Buarque diz numa canção
"Quem espera nunca alcança..."
Se calhar é chegada a hora de fazeres como os burritos que fotografaste dar uns "coices na vida" e dizeres, estou aqui!
De corpo inteiro, bonita, inteligente, Mulher!
Não esperes, actua.
Como diz o povo (eu e as minhas citações), quem espera desespera...
Levanta a cabeça e diz à vida que estás pronta para tudo enfrentar, como sempre fizeste, e com direitos acrescidos luta pela tua felicidade.

Bjs.

Escrevi

11:24 da manhã  
Blogger wind said...

Belo, mas voltaste à tua tristeza...
beijos

6:23 da tarde  
Blogger poetaeusou . . . said...

/
dulce
/
a vida
está ao alcance,
da força do querer,
/
ji
/

7:23 da tarde  
Blogger Pedro Branco said...

Abro a janela de par em par só para te ver passar. Naquele passo solto dos anos passados. Naquele bailado decidido da procura. No canto da fénix que renascerá a cada passagem pelas janelas abertas!

8:01 da tarde  
Blogger maria carvalhosa said...

Lá diz o povo: "a esperança é a última a morrer".

Um beijo.

8:27 da tarde  
Blogger AnaG. said...

nas mãos uma carícia

no olhar uma certeza

na boca um sorriso

já alcançaste a vida
segue-a sem medos

Beijitos

8:31 da tarde  
Blogger Trintapermanente said...

E no entanto...

Beijo

10:06 da tarde  
Blogger Boop' said...

há dias assim!

10:45 da tarde  
Blogger butterfly said...

Mas devemos agarrar a vida com ambas as mãos. Corremos o risco de a perder, para sempre.
Um abraço

1:42 da manhã  
Blogger augustoM said...

A esperança é a última coisa a morrer, dizem eles, eu diria a esperança é a vida em si, porque vida sem esperança, não pode existir, nem que ela seja tão pequenina, que nos impossibilita de a ver.
Um beijo. Augusto

1:33 da tarde  
Blogger mafalda said...

Toada triste... será do tempo cinzento?
Amanhã vai estar tudo ilumidado pela luz do sol. Verás.
Um beijo.

4:41 da tarde  
Blogger Mariamar said...

Ai miinha querida, assim não... Onde está a coragem de lutar que sempre nos deste?
Bj e...

10:58 da tarde  
Blogger Paulo T Pires said...

Tenho andado um pouco afastado, mas é bom constatar que continuas a escrever belos textos...

Bjs

PTP

11:54 da tarde  
Blogger A. Jorge said...

Embora se note alguma mágoa escondida...
Claro!
Esperança sempre!

Abraço

Jorge

http://vagabundices.wordpress.com/

6:11 da tarde  
Blogger Andreia Ferreira said...

Quem escreve assim há muito que já alcançou a vida... :)

Ola e bj. *

12:51 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home