sábado, setembro 08, 2007

Encontro


Hoje ao fim da tarde o mar estava assim. O sol, mal conseguia romper o espesso manto de nuvens e era uma espécie de rasto antigo que se desenhava sobre as águas. A praia quase deserta acolhia a maré baixa e havia uma aragem fresca que nos lembrava que o Outono está à porta.
Ao sair do carro chegou-me de imediato o forte odor a maresia. Se soubessem como tenho saudades desse aroma! Agora mesmo quando o recordo, fecho os olhos para melhor o sentir, e há uma intensa emoção que logo me envolve. Como ía dizendo, foi a maresia que me recebeu hoje ao fim da tarde mas à medida que me aproximava do paredão dissolveu-se na brisa o aroma que tanto gosto. Meia dúzia de pessoas passeavam à beira mar. Havia um cão que corria e concerteza ladrava mas à distância a que me encontrava, nada ouvia para além do vento que soprava persistente.
Tenho saudades do mar. De me descalçar e sentir a areia moldar-se às minhas pegadas. De percorrer a beira-mar de pontão a pontão, uma e outra vez, a sentir a aragem que me arrasta alegremente. De chapinhar com vigor nas ondas mansinhas e sentir as gotas espalharem-se pelo corpo. De me deitar na areia e fechar os olhos, e em silêncio receber aquela dádiva única do canto das ondas. De me abandonar à carícia do sol e como de costume, deixar que o sorriso desenhe o prazer de Ser. Renascer uma vez mais.
Tenho saudades do mar, mas não desta forma como o vi hoje. É como se uma barreira existisse entre o Querer e o Poder. Como se algo dentro de mim me impedisse de atingir aquele prazer absoluto que se repete, Verão a Verão, e me regenera. É como se recusasse a mim própria o momento de me encontrar.
Quando me vim embora o Sol ainda não tinha atingido o horizonte mas as nuvens, cada vez mais densas, arrebatavam-no totalmente de mim. O mar estava cinzento e frio e o Bugio era uma imagem desfocada no horizonte.
Olhei para trás uma última vez antes de descer as escadas para o parque.
O mar era aquele. Eu, é que ainda não!
(Foto, minha

12 Comments:

Blogger A. Jorge said...

Para quê perfumes caros se temos o melhor perfume que é o da maresia?
Tudo que escreves, é uma obra de arte que leio e releio deliciado!
O que dizes é de uma enorme intensidade e penetra-nos a alma de tal forma que nos vicia.
Não me canso de te ler, ainda bem que é um bom vício!

Abraço

Jorge

http://vagabundices.wordpress.com/

1:34 da manhã  
Blogger bettips said...

O mar, sempre. Nós é que, muitas vezes, ainda não chegamos a nós. Abç

1:49 da manhã  
Blogger Sophiamar said...

Um post muito bonito dentro do estilo a que nos habituaste. Bonito e bem escrito. Gostei que tivesses ido até ao mar. Quem por ele se apaixonou jamais consegue esquecer essa paixão.Ainda que tenhas dificuldade em encarar o dia a dia porque o sentimento de perda, a tristeza, a desolação de ti se apossaram não deixes que isso aconteça por mais tempo.Contraria-te e retoma a vida normal. Muita gente precisa de ti. Eu preciso da Dulce que escrevia posts cheios de vida, de alegria, de esperança...
Mãos à obra.
Beijinhos, amiga! Bom Domingo!

9:35 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Repara que todos notam a mudança.
Uns dizem, outros não!

A beleza do mar está na proporção inversa da tua actual alegria de viver.
Lembra-te do poema:
"Não! Não vou por aí!"
Não vás por aí amiga, olha em volta. Já viste quantos caminhos se abrem para que tu os percorras, tranquila e feliz...?

Tens de conseguir desfrutar os momentos belos da vida, da tua vida.
Os escolhos vão sendo ultrapassados, tu sabes.
Vem sempre um dia, depois deste dia...
Um dia de Sol...
e felicidade...
e mar...
e amor...

Um beijo

Escrevi

10:34 da manhã  
Blogger Kalinka said...

DULCE
eu n�o me esque�o de ti, visito-te e por vezes deixo um coment�rio, mas lamento n�o receber o feedback da minha admira�o por ti e pelo teu espa�o.

Por acaso o meu coment�rio tamb�m tem a ver com o dia de ontem - s�bado e, o teu post tem a ver com o dia de ontem; parece-me que o lugar que escolhi estava mais quente que esse, perto do Bugio.

Ontem fiz gazeta ao blog, tanto ao meu como aos outros todos, n�o li nenhum blog, n�o postei...resolvi tirar um final de dia fora de portas e fui sair com uma Amiga, fomos jantar, conversar e curtir a noite. Foi muito agrad�vel, pois ali reparei como n�o tenho aproveitado as noites de Ver�o que est�o quase a terminar e estava uma noite t���oooo agrad�vel, 21� pelas 4 horas da manh�...soube-me bem. Mas...hoje tenho que voltar a visitar todos os blogues dos meus Amigos virtuais e postar...porque amanh� come�a outra semana infernal no trabalho e n�o vou ter tempo para nada, como j� � h�bito.

Beijos e abra�os.

5:06 da tarde  
Blogger wind said...

Pelo menos já deste um passo.
Continua com força:)
beijos

10:55 da tarde  
Blogger Pepe Luigi said...

Dulce,
Mar, Introspecção, Encontro, entre outros são trabalhos que definem a magnificência de quem os escreve.
A clareza, o conceito, o sentido, tudo está na sua ordem, no seu lugar.
Por isso te considero uma Divina.

Sabes que espero por ti como não sendo a última vez. Para mim é sempre um privilégio receber-te no meu espaço na altura e no momento que entendas.

Estive afastado das lides da blogoesfera cerca de dois meses. Eu entendo que seja talvez por falta de inércia.

Um beijinho para ti
do Pepe.

11:21 da tarde  
Blogger augustoM said...

Quem não se deixa embalar pelo mar?
Confidenciar às ondas é confidenciar a nós próprios.
Um beijo.Augusto

1:41 da tarde  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Dulce:

O mar eterno fasc�nio de poetas continua a alimentar sonhos...

11:26 da manhã  
Blogger Ana Ramon said...

Por vezes sentimo-nos assim. Não há nada a fazer. Por mais palavras ouvidas, beijos e abraços, sentimo-nos assim e pronto. Reconheço-me perfeitamente naquilo que dizes. Há que dar tempo a nós mesmas... e uma manhã sem se saber bem como e porquê acordamos diferentes, em paz e a conseguirmos sentir de novo o mar. Um beijinho muito grande, Dulce

Continuo à espera de nova visita a Viseu.. ah, e do prometido mail que nunca chegou a aparecer :))

9:59 da tarde  
Blogger Pedro Branco said...

Foi por aquele cheiro que pintei todas as palavras que consegui. De uma vez só. Mesmo assim, estava longe do mar.

Beijo, Dulce.

11:19 da tarde  
Blogger Ana Fundo said...

PARABÉNS AMIGA :-)))))
E obrigada...por tudo...por existires :-)
Beijos e um Dia muito Feliz!
Ana

10:34 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home