quarta-feira, novembro 22, 2006

Hoje

Quando o sonho se desfez a noite desceu.

Hoje o sol não se abrigou num horizonte de mil cores.
Hoje as mãos arrefeceram, perdidas num colo vazio.
Hoje os sinais vermelhos que atravessei foram apenas e só, sinais vermelhos.

Quando o sonho se desfez o sorriso perdeu-se.

A ilusão escureceu.
A esperança ganhou as cores do inverno.
O relógio retomou a marcha.

Hoje a estrada foi de ferro.
Hoje as palavras morreram, caladas na garganta.
Hoje romperam-se os diques e ondas salgadas e poderosas galgaram as minhas margens.

Foi hoje. Quando o sonho se perdeu.

13 Comments:

Blogger number-one said...

a estrada é muitas vezes de ferro, difícil de percorrer. perde-se o sonho, mas resistimos ás tempestades. preciso de força...
gostei imenso

8:10 da tarde  
Blogger aldina said...

Um sonho perdido pode ser só um anjo distraído... ou talvez adormecido!

Até sempre.

8:12 da tarde  
Blogger augustoM said...

Não se pode sonhar de noite? De dia tenho os sonhos desfeitos.
Um beijo. Augusto

9:32 da tarde  
Blogger vero said...

Um sonho perdido... :(

Beijos mil***

10:13 da tarde  
Blogger JPD said...

Sonho perdido...é forte.
Quyandoi me acontece coisas parecidas penso sempre nos sonhos que se não cumprem.
:)

10:33 da tarde  
Blogger Maria said...

tinha-te perdido a semana passada, todos os blogs foram ao ar, e foi difícil refazê-los...
reencontrei-te hoje, e que poema mais bonito, embora tão triste!
Fica o melhor possível e tem uma boa noite

12:03 da manhã  
Anonymous poetaeusou said...

Dulce.
O Hoje, não existe.
O Hoje é o Amanha.
O Hoje amanhã, é Ontem.
Jacques de la Palisse, é?.
E a Ilusão.
Não passa disso;
Os Sonhos.
Não se desfazem.
Formatizam-se de per si.
Para Alem de nós...
A seguir á Tempestade.
Vem a Bonança.
Logo, o ontem do Amanhã.
È um dia repleto de Alegria.
Porque Voltaste.
Aí, logo aqui.
Á rede Global.
Ao Além de Mim.
poetaeusou(menossó)

1:33 da manhã  
Blogger Paula Raposo said...

Perder o sonho...beijos, Dulce.

10:32 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Atrás do sonho vêem sonhos
e outros sonhos virão
ganha a vida
e não a desilusão

Bjinhos aparecida

2:46 da tarde  
Blogger Besnico di Roma said...

Não quero, não gosto de te saber triste.
Lindo o que li; sublime o que se adivinha…
Mas basta de melancolia, hoje venho para causar a desordem, para te fazer sorrir, para te afrontar… visita o meu blog, deixei lá uma maldade para ti; um desafio. (escolhe mais 5 vitimas)
Afinal eu já aprendi, que alguns de nós, para ser mais leve, temos que levar a vida a fingir… num eterno faz de conta, para parecer que somos felizes.

3:17 da tarde  
Blogger mfc said...

O sonho faz parte integrante de nós.
Quando o sonho morre, uma parte de nós também desaparece!
Toma um abraço.

4:23 da tarde  
Blogger luis manuel said...

Ser novo com cada nova madrugada... assim, de um dia para o outro. Seres imperfeitos, com raízes. Com caminhos escolhidos, com a emoção de sermos novos e desconhecidos. (Nov 14)
Hoje... a noite desceu, o sonho parece perdido.
Hoje a esperança parece morta.
Tudo parece.
A verdade, acorda com a nova madrugada.

Bonito o teu poema. Sentimento de muitas almas nossas.
Gostei do "desassossego", por isso a colagem.

Um beijo, amiga

11:16 da tarde  
Blogger José said...

muito bonito!
quem é o autor?
gostei mesmo muito
bjs

6:46 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home