terça-feira, setembro 26, 2006

...

No lugar dos palácios desertos e em ruínas
À beira do mar.
Leiamos, sorrindo, os segredos das sinas de quem sabe amar.

Qualquer que ele seja, o destino daqueles
Que o amor levou
Para a sombra, ou na luz se fez a sombra deles,
Qualquer fosse o voo.

Por certo eles foram mais reais e felizes.

Álvaro de Campos, "Poesias", Clássica Editora, Lisboa, 1993, p.11

5 Comments:

Blogger wind said...

De certeza que foram!
O meu heterónimo preferido:)
beijos

8:39 da tarde  
Blogger António Rosa said...

O que tem qualidade é eterno.

10:47 da tarde  
Blogger JPD said...

Este poema era para a Ofélia.
De certeza absoluta.
Quem escreveu cartas de amor como ele o fez, melhor faria poemas.
Bjs

10:53 da tarde  
Blogger Peter said...

Pois que sejam.
Estive vendo e ouvindo o vídeo. Gostei.

10:53 da tarde  
Blogger vero said...

Por certo que sim...
Beijinhos querida amiga***

3:38 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home