domingo, agosto 13, 2006

Nocturnamente

Nocturnamente te construo
para que sejas palavra do meu corpo

Peito que em mim respira
olhar em que me despojo
na rouquidão da tua carne
me inicio
me anuncio
e me denuncio

Sabes agora para o que venho
e por isso me desconheces

COUTO, Mia, "Raiz de Orvalho e outros Poemas", Caminho, Lisboa, 1999, p.42

6 Comments:

Blogger unafresa said...

"Sabes ahora por lo que vengo
y por eso me desconoces"

Preciosos versos Dulce.

Un beso muy fuerte y te deso que pases un feliz ferano.

9:18 da manhã  
Blogger Paula Raposo said...

Fantástico! Beijos.

11:03 da manhã  
Blogger wind said...

Maravilhosamente sensual e belo:)
beijos

2:38 da tarde  
Blogger augustoM said...

Oh Dulce! Eu mudava o fim ao poema do Mia Couto.

Sabes agora para o que venho
e por isso não adormeças.
Um beijo. Augusto

2:56 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Por isso não me conheces...

4:52 da tarde  
Blogger Peter said...

Tenho "ciclos". Já tive o "ciclo Mia Couto" e guardo um livro que ele me autografou há uns anos na feira do livro de Lisboa.

Bom feriado

10:20 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home