domingo, julho 09, 2006

A vida em aguarela


Pinto.
Pinto os dias de esbatidas aguarelas.
Faço-as belas.
Faço-as claras e difusas

Derramo o azul em preguiçosas madrugadas
e esbato o sol que nas auroras desponta
sobre o róseo alaranjado das nuvens no horizonte.

Para a imensidão do mar
adenso o azul das manhãs
ou entristeço o verde dos teus olhos.

Ao sol do meio-dia
dou a intensidade da vida.
Cubro os entardeceres de um sereno manto
que se desdobra lentamente em trevas.

De verde-esperança salpico as árvores
e em pores-do-sol as transformo
quando, estaladiças pintam o Outono.

A noite não pinto.
Adoço-a com pinceladas de sombras
iluminadas de Lua.

Às gentes não pinto.
Pressinto-as.
Disfarço-as de sonho
e invento-as de novo.

(Foto "Lisbon and the Tagus" in Google, Imagens)

12 Comments:

Blogger wind said...

Além de ter lido um poema teu que pressentia que escrevias, transmitiste-me uma calma divinal.
Linda aguarela.
beijos

1:43 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Inventas os poemas, a Vida e tudo sai Belo...

2:30 da tarde  
Blogger escrevi said...

Que dizer?
Muito bom, bem escrito e revelador da tua capacidade de abordares qualquer tema (ou o mesmo tema) em diferentes formas de escrita.
Este poema, tão diferente (será?) mostra o caminho que estás pronta a percorrer!
Não páres, vai em frente.
Quer em prosa, quer em verso, tens de apresentar o teu trabalho para publicação.
Enquanto não deres esse passo vou pensar seriamente em fazer greve aos comentários.
Bolas Dulce, investe no teu trabalho que todos ficamos a ganhar.

Um beijo muito grande.

2:48 da tarde  
Blogger Ana Fundo said...

Subescrevo tudo aquilo que a Escrevi disse!!!
E para além disso amiga...só posso dizer LINDO!!!
Beijinhos

5:08 da tarde  
Blogger A Rapariga said...

Surpreendes-me, às gentes não minto, pressinto-as...e omito a verdade.

Faço os dias belos em lindas aguarelas, mentindo salpico de verde-esperança os dias e as noites.

Gostei muito do que escreveste.
Beijo

PS-o dueto Sting-Cheryl Crow é lindo!

10:32 da tarde  
Blogger A. said...

...escreves bem Dulce.muito bem.

Às gentes não pinto.
Pressinto-as.

...e como é bom este meu
pressentimento.por ti.

um grande beijinho.

11:58 da tarde  
Blogger Amigo de Alex said...

Que bonita deve ser a aguarela, colorida pelas cores da paleta do teu olhar...
Um beijo.

12:05 da manhã  
Blogger Anna D' Castro said...

Oi Dulce, depois de a ter encontrado num blog dum amigo, passei aqui no seu, dei uma "volta" pelos seus textos e fiquei fascinada pelas 'cores' da sua bela aguarela... Maravilhoso poema! Tomo a liberdade de fazer coro com seus amigos que a aconselham a publicar seus trabalhos... Faça isso, não deixe seus trabalhos na gaveta, não é "saudável" para ninguém, dê esse presente para a posteridade.
-Sou de Lisboa, mas moro no Rio de Janeiro desde 1999 e me emocionei ao lê-la. Parabéns.
Se me quiser visitar no Flores Selvagens ou no Recolhendo Farpas, ficarei encantada...
Um beijo e felicidades
Anna

6:03 da manhã  
Anonymous Maria Paula said...

Belíssimas palavras! Aguarela divinal! Beijinhos.

8:33 da manhã  
Blogger Miriam5 said...

Linda aguarela, pinta a vida com mestria.
Um beijinho

10:16 da manhã  
Blogger José said...

Que bom, não se ser daltónico e saber-se pintar a vida de todas as cores, quando existe um Sol para nos iluminar.
Parabéns por este belíssimo poema, acho que tens mesmo de continuar, se não há greve! :))
Beijos pintados

11:46 da manhã  
Blogger lena said...

linda a aguarela, li e reli

como escreves tão bem Dulce,

que belo o teu poema

pintas com cores todos os versos

parabéns!

lena

10:35 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home