quinta-feira, junho 29, 2006

Lusitania Comboio Hotel


Este é o meu "sítio para pensar". De manhã quando o sol aqui bate de frente, até os velhos bancos de madeira riscados e pintados com frases de amor e outras menos doces, se tornam acolhedores. Escolho sempre o mesmo banco. A nesga de rio ao fundo vai mudando conforme os dias - mais cinzenta ou mais azul. Hoje pode até ver-se uma tira de areia amarelada a debruar o rio. Aos meus pés o relvado, onde a esta hora as máquinas de aparar relva ainda trabalham.
Sento-me e cruzo as pernas e distraio-me a olhar o meu pé que, de sapatos de salto e unhas pintadas até parece mais bonito.
Penso no fim do dia de ontem. Penso naquele comboio com que sempre me cruzo e que tanto me atrai. O Lusitania Comboio Hotel. Lisboa-Madrid com partida de Santa Apolónia todos os dias às 22,10. Viaja toda a noite.
Quando passo ao seu lado ainda ultimam os últimos preparativos. Já há gente que espera sentada nos bancos da estação. As malas espalham-se pela gare.
Olho sempre para dentro da carruagem-restaurante. As janelas baixas descobertas, mostram um interior acolhedor. Pequenas mesas alinham-se junto às janelas, encimadas por pequenos candeeiros. Imagino as outras carruagens que não consigo ver - com os seus beliches - e sempre penso que me apetecia comprar o bilhete naquele momento, e partir.
Como eu adoraria fazer aquela viagem. Mesmo só. Jantar ali naquelas mesas enquanto sentia a paisagem enegrecida a passar velozmente ao meu lado.
Deitar-me naqueles beliches e sentir a trepidação suave provocada pelo andamento do comboio. E sonhar. Sonhar com outra vida. Com outras paragens. Com um reinício. Sonhar é percorrer outros lugares. Viajar também. Pode-se viajar, sonhando. Pode-se sonhar, viajando. Uma simbiose perfeita.
Depois acordar pela madrugada e ainda deitada, ficar a ouvir os ruídos do comboio enquanto galga os quilómetros que ainda faltam. Espreitar pela janela e agora já o dia nascido, poder ver uma nova-mesma paisagem.
Um dia vou fazer aquela viagem. Um dia vou entrar naquele comboio e partir.

(Foto em www.trekearth.com)

9 Comments:

Blogger wind said...

:))) Então vai:))) beijos

11:34 da manhã  
Blogger escrevi said...

Fizeste-me recordar outras viagens, numa outra vida que já foi minha.


Bjs.

1:21 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Um dia conto uma viagem, feita no passado, entre S. Apolónia e Paris-saída sexta 14h, chegada sábado 20 h.
...e a paragem a meio-da-noite no País Vasco.

4:43 da tarde  
Anonymous Maria Paula said...

Um dia...Beijos, Dulce.

9:14 da manhã  
Blogger luis manuel said...

Nesta minha viagem, abraço esta estação.
Não é algo feito maquinalmente. Há intenção. Há vontade.
Leio, guardo e aguardo.
E a ...

"It’s a beautiful day
The sun is shining
I feel good
And no-one’s gonna stop me now, oh yeah

It’s a beautiful day
I feel good, I feel right
And no-one, no-one’s gonna stop me now
Mama

Sometimes I feel so sad, so sad, so bad
But no-one’s gonna stop me now, no-one
It’s hopeless - so hopeless to even try"

Não gosto muito de deixar escrito noutras lingua que não a nossa Portuguesa. Mas tenho a consciência que corria o risco de não ser fiel á tradução.

Um beijo, amiga

10:34 da manhã  
Blogger José said...

Sempre sonhei como seria uma viajem no Expresso do Oriente, mas na pior das hipóteses, já me contento com uma viagem até à gare do Oriente! E lembrar-me que há meninos que nunca andaram de comboio, nem viram o mar!
Um beijo, viajado

12:07 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Achei lindo, Dulce.Aliado ao gosto que tenho por esse meio de transporte, o meu favorito, e às "viagens" que ainda espero fazer na minha vida, achei bastante inspirador. Dás-me tanta força!

Um beijo muito grande de uma tua fã

Ana Parreira

11:33 da manhã  
Blogger Elsa said...

Acho que já lá devias estar...
;o))

beijos!!!!!!!!!

10:12 da tarde  
Anonymous train said...

espero que sim
eu mesmo sinto o desejo de uma viagem
nao consigo nao ficar fascinado
os transportes sao ..

1:04 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home