segunda-feira, julho 10, 2006

Uma viagem pelos aromas

Texto retirado

9 Comments:

Blogger escrevi said...

Senti contigo os cheiros que referiste. Todos.
Sorri, enterneci-me, comovi-me.
Tantos sentimentos tu despertaste em tão poucas linhas, tantas recordações, tantos cheiros...

Ainda não foi hoje que iniciei a minha greve aos comentários.
Simplesmente não consegui...

Um beijo.

9:25 da tarde  
Blogger wind said...

Tal como tu, tenho um olfacto incrível e associo muitas situações ao cheiro e vice-versa.
Belíssima descrição:)
beijos

11:47 da tarde  
Blogger Su said...

belo texto sobre a memoria dos aromas...é verdade ficam em nós...

jocas maradas de tempo

2:25 da manhã  
Blogger lazuli said...

relembraste-me o cheiro do creme nivea nas manhãs solarengas junto aos calhaus da minha terra.
O cheiro do vestido acabado de estrear na adolescência, algures nos Açores.
O cheiro das lapas que apanhávamos nas rochas..do pão quente, das rosas silvestres e das amoras. Tanta coisa mais.

E um perfume a que fui fiel e que por fim desapareceu na voragem do marketing.

O teu texto está delicioso, e acompanto-te nesta viagem aos aromas da vida.

beijos

3:31 da manhã  
Blogger Paula Raposo said...

Como os aromas nos enchem todos os sentidos e nos despertam memórias. Lindo o teu texto. Belos os aromas que eu inalo quando os recordo e até choro feliz! Beijinhos.

9:28 da manhã  
Blogger augustoM said...

Talvez, de todas as formas de recordação, a olfactiva seja a que mais perdura na nossa memória, por ser ela que induz a memória dos outros sentidos.
Ainda me lembro, de quando tinha cerca de quarto anos de idade, do cheiro das solipas do caminho de ferro, o cheiro nostálgico que conservei por mais tempo, e que ainda hoje, me é muito agradável. Com lembrança do cheiro, visiono imediatamente o apiadeiro, onde todos os dias ia esperar o meu pai. A recordação do ceiro é tão intensa, que o detalha das imagens, de há 60 anos, é surpreendente.E recupero a alegria de menino.
Um beijo. Augusto

1:40 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

...ai que cheirinho.
(como tão bem canta Carlos do Carmo)

2:52 da tarde  
Blogger José said...

Fascinante este olfacto cheio de ternura.
Não dá mesmo para fazer greve, adorei.
Beijos aromáticos

5:32 da tarde  
Blogger lena said...

Dulce, senti o aroma na ternura das tuas palavras,

uma viagem aos aromas da vida e

viajei ao teu lado nesses cheiros que me contagiam e me fizeram recordar ...

um beijo meu

lena

10:40 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home