sábado, maio 05, 2007

E se subitamente a Estrada ...


Confiante, caminhas. Iluminada por uma vontade que te incita a prosseguir. Avanças lentamente por uma Estrada colorida de matizes. Campos verdes sem fim. Aroma de Vida no ar. Enfrenta-la sorrindo.

(E se subitamente ... )

Os olhos brilham e antecipam longos passeios à beira-mar. Os pés nus sentem já o contacto da areia molhada. De maresia se inundam os pensamentos. Doce é o crepúsculo das tardes de Verão que hão-de vir.

(E se subitamente a Estrada ... )

Dá-lhe a mão. Caminha ao seu lado. Sorri. Canta. Dá-lhe o coração. Mergulha no seu olhar. Penetra-o. Sente na pele o refrescante roçar do Amor. Lê os gestos e decifra as emoções. Dá-lhe a Vida e em troca recomeça. Do zero. Por uma Estrada em que não vislumbras o fim.

(E se subitamente a Estrada terminasse ! )
(Fotografia retirada das Imagens Google)

19 Comments:

Blogger Luis Eme said...

Que as estradas das "palavras" nunca cheguem ao fim, Dulce...

12:49 da manhã  
Blogger bom dia isabel said...

Lindíssimo o teu post. Como sempre! Aqui respira-se vida.
Deixo-te um beijinho e desejo-te um bom fim de semana.

9:48 da manhã  
Blogger José said...

Todas as estradas levam a outros sítios, a outras estradas, muito poucas acabam no abismo.
Saber tomar a estrada certa, longa e palmilhá-la lentamente guardando o melhor da paisagem no coração é acto de quem conscientemente segue a viagem.
Um DIA descobri uma estrada longa, enorme, de terra batida e cheia de buracos, idêntica a certas vidas, e segui por ali, admirando a paisagem de amarelos e verdes que se apresentava aos meus olhos, seguida no céu por algumas nuvens escuras onde as lacunas deixavam transparecer um sol bonito e radioso que incentivaram o prosseguimento da viagem por uma estrada longa que não sei onde termina, mas que sei que é por ali que quero ir.

Beijinhos e bom fim de semana.

11:42 da manhã  
Blogger check availability said...

Magnífico!
Beijinho, Dulce
Pat

1:39 da tarde  
Blogger check availability said...

Sou eu, sim, Dulce.

Mas somos mais...

Beijinho
Pat

PS- não reparou na foto?
sou eu, no 1ºpost, eu e amigos...

2:50 da tarde  
Blogger check availability said...

a dona da casa sou eu...

2:52 da tarde  
Blogger wind said...

Belíssimo!!!!!!!!!!!!!
beijos

4:30 da tarde  
Blogger Maria said...

Esta estrada e outras estradas não têm fim, nunca...
A nossa, a individual, essa tem.
Devemos percorrê-la da melhor maneira possível, e sobretudo vivê-la!!!

Bom fim de semana
Beijos, Dulce

7:31 da tarde  
Blogger Betty Boop said...

Venho anunciar uma mudança de identidade!
A partir de hoje sou Betty Boop - a Inês fica assim mais protegida!
Não me estranhem por aí...

8:24 da tarde  
Blogger Kalinka said...

Voltei ao teu belo espaço.
Li-te, como sempre fico encantada com as tuas palavras.
E, se subitamente..eu te falasse de outro assunto?

O meu tema é:O Tuiná é um antigo e tradicional recurso terapêutico originado na China e consiste em um conjunto de técnicas manuais vigorosas, onde o terapeuta usa seus dedos, mãos, punhos, cotovelos, antebraços e joelhos nos Pontos de Acupuntura e nos Meridianos Energéticos, restabelecendo o fluxo das Substâncias Vitais. O termo "Tuiná" em chinês significa literalmente "friccionar e amassar". Pode-se tratar contraturas, entorses, gripes, enxaqueca, depressão e uma infinidade de outros distúrbios orgânicos sob o ponto de vista da Ciência Ocidental, mas mantendo o diagnóstico comum à Medicina Tradicional Chinesa.
O Tuiná pode ser relaxante, dependendo do quadro do paciente, mas isto não é uma regra geral. Não se deve confundir o Tuiná com a massoterapia tradicional. Na massoterapia ocidental, o tratamento é superficial e visa atingir os tecidos moles mais acessíveis.
Na China, é muito comum encontrar em grandes cidades pequenos estabelecimentos que fazem sessões de Tuiná por preços populares.

Bom fim de semana.

12:25 da manhã  
Blogger Paula Raposo said...

Quando li o título, inevitavelmente, associei ao acidente que tive há uns anos. Se a estrada fosse outra eu tê-lo-ia tido na mesma...beijos.

4:12 da manhã  
Blogger A.S. said...

Belissimo texto Dulce! A nossa estrada existe sempre além de nós...


Um beijo!

7:21 da tarde  
Blogger Era uma vez um Girassol said...

Pareceu-me quase um sonho este texto.Lindo!
Estradas, há tantas...
Mas o caminhar lado a lado é o principal, independentemente da estrada que se escolhe.
Beijinho

10:44 da tarde  
Blogger perplexo said...

Técnica positiva é caminhar como se soubéssemos que a estrada só termina à entrada da terra natal de Matusalém. :)
Bj

12:52 da manhã  
Blogger Sandra said...

(E se subitamente a Estrada terminasse num abraço...)

10:28 da manhã  
Blogger bom dia isabel said...

Por favor, passa no meu blog.
Beijinhos

3:29 da tarde  
Blogger poetaeusou said...

/
termina sempre, dulce
/
xi
/

3:59 da tarde  
Blogger augustoM said...

A vida é uma estrada onde caminhamos, ora por uma berma, ora por outra, pelo centro é o caminhar mais difícil.
Um beijo. Augusto

9:33 da tarde  
Blogger Besnico di Roma said...

… e se subitamente? …
Ficaria mais só, mas tu sabes…

6:01 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home