segunda-feira, abril 23, 2007

Devaneio

Só não quero estar assim daqui a dez anos, disse. A resposta surgira-lhe uns segundos antes, ou nem resposta era - era mais conclusão. Formulação de um íntimo desejo. Só não quero estar assim daqui a dez anos. Primeiro fora um flash. As letras nítidas sobressaindo de um futuro obscuro. Depois ficaram a brilhar no escuro como que a dizer, diz! diz alto! atreve-te! e quase sem pensar os lábios deixaram sair os sons que no seu mais íntimo explodiram. Só não quero estar assim daqui a dez anos, ouviu-se a dizer, e admirou-se com o eco das palavras que apesar de apenas murmuradas dispararam velozes e ganharam vida própria.
Não estar, ganhou volume e enfrentou olhos nos olhos o assim, enquanto os números se sobrepunham um a um, cada vez mais alto, cada vez mais longe, até que o dez desaparecia lá no alto, tão longe e tão ténue que a fez duvidar da sua existência. Depois, as palavras cairam. Todas juntas. Só não quero estar assim daqui a dez anos tornou-se um monte de estilhaços partidos ao fundo dos seus olhos. Valeria a pena dar-lhes de novo a forma? Daqui a dez anos ... repetiu para si própria, daqui a dez anos ... daqui a dez anos ... e as palavras perdiam o sentido, quebradas por uma repetição que as extinguia.
Só. Não. Quero. Estar. Assim. Daqui. A. Dez. Anos.
Disse-as uma a uma procurando uni-las de novo, dar-lhes sentido.
Disse-as uma a uma de novo para que brilhassem como antes e disparassem velozes e com vida própria.
Disse-as uma a uma ... para Acreditar.

11 Comments:

Blogger maria said...

Daqui a dez anos...
Estarás mais velha (precisamente dez anos).
Estarás mais feliz (precisamente dez vezes mais).
Tenho essa certeza (multiplicada por dez).

Bjs

8:46 da tarde  
Blogger Luis Eme said...

E ela acreditou?

Dez é apenas um número...

9:02 da tarde  
Blogger JPD said...

Arranjaste a bonita, Dulce: daqui a dez anos terás de vir cá confirmar que os piores receios eram infundados... Como vai ser?

(Brinco!)

Bjs

10:37 da tarde  
Blogger saisminerais said...

Amiga
Eu só t digo uma coisa...
Daqui a dez anos eu quero estar aqui a ler-te e dizer-te te continuas a ser especial e a ver se depois dez anos mais tarde ainda continuas assim linda.
Eu. Daqui.a.Dez.Anos.já.estou.Taralhoco.e mesmo assim ainda vais ser das pessoas que que me vou lembrar.
Beijo do teu amigo
PS o sais voltou lentamente

11:25 da tarde  
Blogger mfc said...

Porquê uma esperança a dez anos?! É uma eternidade!
O texto é de um desespero que magoa!

1:39 da manhã  
Blogger Maria said...

Só quero continuar assim.
E estar assim.
Daqui a dez anos...???

Beijos

1:56 da manhã  
Blogger Odele Souza said...

Dulce,
Vim conhecer seu Blog por indicação de Cusco, e como acredito que quem é bom só indica quem bom também é, aqui estou. Este seu Devaneio, me encantou e gostei muito do que me foi possível ler de seu trabalho. Voltarei outras vezes. Enquanto isso, fique com meu carinho.

2:31 da manhã  
Blogger Alexandre said...

Convém repetir muitas vezes as mesmas coisas para elas ganharem contornos de realização.

Muito do que fazemos vem da parte e da motivação psicológica... mas no fundo tudo é relativo - e dez anos é muito tempo - faz-me lembrar aquela música do Paulo de Carvalho qd ele comemorou os 10 anos de carreira - agora já ultrapassou os 40...

Beijinhos!!!

9:25 da manhã  
Blogger Sandra said...

Mais um texto magnífico.

Beijinho

11:14 da manhã  
Blogger Cusco said...

Olá Dulce! Para misturares com o cheiro a cravos que começa a pairar no ar, mando-te um aroma adocicado de estevas desta encosta serrana já iluminada e aquecida por um sol que parece finalmente se ir levantando de um sono demasiado longo.
Tanta gente que não querer estar assim daqui a dez anos! Mas muitos vão estar.
Quem dirá essa frase?
Aquele senhor à beira da reforma que vindo de uma consulta no hospital deparou com todos aqueles restos humanos naquele corredor negro de esquecimento?
Aquela senhora ainda elegante, bem-humorada, quase viçosa ainda, quando vê a vizinha arrastar o carrinho das compras e parar na esquina a tomar fôlego?
Aquela jovem que em cima dos vinte aninhos mantém uma barriguinha e nádegas desenhadas de acordo com os parâmetros tradicionais da idade e da moda e que não têm nada a ver com a vizinha do terceiro esquerdo, que apesar dos seus trinta e poucos aninhos mantém já um lustroso pneu em volta da cintura?
Aquele rapaz que fumado o primeiro cigarro, dado o primeiro chuto curioso e bebidas as primeiras cervejas, começa a ver no parque em frente o amigo arrumar carros?
Tanta gente a dizer essa frase. Inclusive eu inclusive tu!
Um beijo e até breve
SE DEUS QUISER!

12:03 da tarde  
Blogger sonhadora said...

Hoje fazes parte dos meus sonhos. E de cá não sáirás.
Beijinhos embrulhados em abraços

2:39 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home