sexta-feira, março 09, 2007

Em ti /Em mim

Diz-me qualquer coisa bonita. Hoje. Agora! Diz-me, para que o sorriso nasça simplesmente, sem esforço. Não como agora - um esgar apenas. A sombra de um sorriso.
Vejo-te(me) ali sentada. Ali do outro lado da janela. A luz da secretária acesa iluminando o teu (meu) rosto. O olhar fixo no monitor. As palavras, não as oiço, não é preciso. Nos teus (meus) olhos vejo reflectida a tua (minha) alma. Por detrás do sorriso que ensaias vejo a tristeza que espreita. Nas mãos apoias o rosto e quando baixas a cabeça o cabelo esconde parte daquilo que não queres mostrar. Como é transparente o teu (meu) olhar. Percebo bem que queres fugir, desaparecer dali para que não te (me) vejam o que vai lá dentro, para finalmente deixares cair as lágrimas que tentas a tanto custo reprimir.
Levantas-te. Vais buscar água. Aproveitas para recompôr no rosto a calma, a limpidez, mas quando de novo te sentas percebo que não vais conseguir. Acentuam-se mais as rugas no rosto e nos olhos espraia-se timidamente um lençol de água.
Como te (me) conheço bem! Como te (me) leio tão claramente como se de mim própria se tratasse. É isso que me assusta. É saber. Saber tão bem o que vai lá dentro. Saber tão bem como enterras e disfarças o que não podes resolver. Mas sabes! Sabes! E eu também sei!
Sabes, este é um dia que não devia ter acontecido. Um dia em que nada chega para apagar a tristeza. Um dia amargo.
Nem as palavras bonitas que peço para dizeres conseguem fazer nascer em ti (em mim) o sorriso.

18 Comments:

Blogger wind said...

Quando dois são um só acontece esta maravilha que descreveste tão bem:)
beijos

9:46 da tarde  
Blogger Maria said...

Como quando se fala para um espelho...

Beijo

11:25 da tarde  
Blogger anatema said...

Pues sonríe-te (le)

Sonríe a la vida que vives.

Un beso amiga.

1:49 da manhã  
Blogger anatema said...

Dulce. Lamento no poder decirte donde está hecha la foto de mi blog, pues, al contrario que otras, no dice nada más que lo que escribi debajo.

Estas fotos curiosas son una serie que me dejó mi hija y me gusta poner alguna de vez en cuando. En algunas figura el autor y el lugar, en otras, como la última no dice nada. Lo siento.

Un beso.

2:03 da manhã  
Blogger Paula Raposo said...

Às vezes dois são um e um torna-se dois. Beijos.

1:21 da tarde  
Blogger A Rapariga said...

dou-te o que não tenho – a história
de um rio exultante a explodir na boca em versão romântica,
poema sem trágicos sulcos ou fala completa. e tu, tu dás-me
o que sou: metáfora doendo-se alto onde acaba o texto...

o sorriso dar-te-ei depois, talvez um dia to devolva...

Beijo

1:36 da tarde  
Blogger un dress said...

pois vive a tua dor...e volta!

deixo-te do Daniel Faria:

"As chagas são vivas como as guelras dos peixes
Assim eu posso respirar-te ó árvore
Pulmonar onde o aroma se difunde

Abre-se vivo o peito como as àguas
Meu caminho plano ó porta encostada
à chaga que me cerca o coração"

muito-sol-hoje...

2:09 da tarde  
Blogger JPD said...

Muito bem escrito, muito interessante este texto.
Bjs

2:48 da tarde  
Blogger Su said...

gosto.te
sorrio.te

jocas maradas

6:02 da tarde  
Blogger Afonso said...

Gostei imenso do texto. Mas, hoje, não me posso estender nos comentários porque tou num dia não.
Quanto ao nó já está desatado. Pronto para outra ... :P

12:18 da manhã  
Blogger poetaeusou said...

Nas mãos apoias o rosto e ...
b)

12:35 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Essa tristeza, eu sei, vai desaparecer.Beijo grande. Com B , com K. com T, tu sabes.....

2:49 da manhã  
Blogger Moinante said...

Hoje está sol , um dia bonito por sinal ...É dia de vaguear ... Portanto , ando por aí , no desejo de conheçer coisas novas ...

Um bom domingo , e desculpa a invasão ...

11:43 da manhã  
Blogger Kalinka said...

Apetece-me sentar-me no parapeito da janela e olhar o céu em silêncio, contemplar as estrelas, sentir-me envolvida pela luz da lua.
Apetece-me embrulhar-me num cobertor e chorar até que as forças me faltem, deitar toda a dor, mágoa, tristeza, desilusão, arrependimento, amargura, medo, tristeza…

Palavras para quê…???
Estou de férias…vou tentar fazer tudo o que me apetece.
Beijokas.
Bom domingo.

1:38 da tarde  
Blogger vero said...

Olá minha querida amiga, agradeço tão simpáticas palavras!!! Ficaria muito feliz se pudesses vir, mas se não puderes eu compreendo! :)
Enviarei um exemplar pelo Alexandre, com muito gosto. E mais uma vez muito obrigada!
Beijinhos*** :)

6:55 da tarde  
Blogger Era uma vez um Girassol said...

Achei original, a conversa com o espelho...
Beijinho

8:54 da tarde  
Blogger Pepe Luigi said...

Gostei muito desta descrição dueto!

Um beijinho
do pepe.

9:43 da tarde  
Blogger M. said...

Gosto do modo límpido como escreves.
(Venho cá algumas vezes...)

11:48 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home