segunda-feira, fevereiro 19, 2007

Curto-circuito


Há uns poucos dias atrás, ao acender o meu candeeiro de secretária, ouviu-se um pequeno estalido e todas as luzes se apagaram. Era já noite escura e tive que percorrer tacteando alguns metros até conseguir accionar o interruptor milagroso que me devolveu a claridade.

Voltando à secretária constatei que o meu candeeiro continuava desligado. Soltei a pequena lâmpada opaca e através de uma pequena nesga na sua base, vi que todos os filamentos estavam no lugar. Bom, da lâmpada não era!

Desliguei o candeeiro da tomada e desde logo me apercebi que um pequeno borrão escurecido manchava a ficha. Algo estaria mal ligado e o curto-circuito acontecera!

Da minha modesta caixa de ferramentas retirei a chave de fendas mais pequena que possuo e com toda a paciência preparei-me para a operação. Fiz rodar a chave até o pequeno parafuso se soltar. Lá dentro, outro pequeno borrão escurecia a caixa enquanto que no meio dele os finos filamentos de cobre se apresentavam descuidadamente soltos. Ao longo do tempo e das ínúmeras vezes em que foi manipulado, algo saíu do lugar e ao perder-se a correcta ordem das coisas, o curto-circuito tornou-se inevitável. Tudo funciona na perfeição. Ao ser detectado um pequeno erro, o nível de controle seguinte reage e, para evitar males maiores, corta a corrente por completo.

Fomos nós, Homens, que pensámos e providenciámos para que assim fosse. A experiência aliada à inteligência e à prática a isso nos levou.

Porque não será então possível desenvolver essa mesma aplicação em nós mesmos?

Hoje os meus circuitos acordaram fragilizados. Algo ao longo do tempo e no decurso da vida de todos os dias os danificou e desde manhã que faço continuamente faísca.

A gripe abalou as minhas defesas e por isso faço faísca.

Sinto as costelas quase a estalar quando tusso - e tusso muito - e faço faísca.

A minha gata deitou ao chão e partiu a minha única taça de flocos e fiz faísca.

Dou-lhe uma palmada e de novo ... faísca.

Um idêntico borrão escurecido tem vindo a alastrar em mim ao longo do dia esborratando até a minha clara e habitual capacidade de visão.

Olho para ontem, para hoje e para amanhã e novamente estala a faísca.

Quando me lembro que ainda por cima é Carnaval ... as faíscas quase derivam em fogo de artifício.

Porque não se cumpre o que o Homem tão bem criou e entro de vez em curto-circuito?
(Imagem do Google)

13 Comments:

Blogger Ana Fundo said...

Um beijinho sem Faiscas para ti:-))
As melhoras linda
Ana

6:14 da tarde  
Blogger Elsa said...

Porque provavelmente não seria muito agradável...
Deixa, ...deve ser por ser segunda-feira (e de Carnaval)
Beijo enorme Amiga! as melhoras!

7:54 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

A tosse passa (já passou). Os dias passam e vais deixar de fazer faísca.
Tens sorte, porque, por aqui, além de faíscas, há relampagos, TROVÕES, e a tempestade não quer ir embora...

10:01 da manhã  
Blogger escrevi said...

Mas que "má onda".
É assim "tipo" "tar na pior"...

Desculpa mas acabei de ler o teu mail... "tás a ver?".

Bjs.

12:24 da tarde  
Blogger poetaeusou said...

Porque não será então possível desenvolver essa mesma aplicação em nós mesmos?
*
Será que é mesmo impossivel ?
Obrigado pelo bonbom,
duce...Dulce !!!

1:21 da tarde  
Blogger Paula Raposo said...

Gripe ainda não...mas partir o nariz e fazer curto circuito à beira do desmaio...aconteceu ontem. A vida continua e segue a dança...beijos.

3:23 da tarde  
Blogger augustoM said...

A explicação é simples: tens uns fusiveis muito fortes não há curto-circuito que te valha. Na minha opinão é muito bom, temos mais força do que pensamos ter.
Um beijo. Augusto

6:07 da tarde  
Blogger Maria said...

Por isso eu vi, ontem mesmo, passando por aqui um clarão, vindo da margem sul...

As melhorinhas... um abracinho...

10:36 da tarde  
Blogger Afonso said...

Porque se isso fosse possível as coisas ficariam muito mais complicadas. Não haveria a hipótese de mudar os filamentos e pôr tudo no sítio!!

As melhoras e resto de boa semana.

afonsobastos.blogspot.com

11:17 da tarde  
Blogger Paula Raposo said...

Obrigada, Dulce, pela visita. Beijos.

9:48 da manhã  
Blogger aldina said...

Há que tentar,na medida do possível, disfrutar das pantufas, da mantinha, do chazinho quente, do gatinho... A faísca pode ser sinal de fogo mas também de cinza arrefecida por apagar completamente...

As melhoras e parabéns pelo estado de ânimo que lhe permite escrever ainda que doente.

Até sempre!

5:45 da tarde  
Anonymous Era uma vez um Girassol said...

Sinceramente desejo que essa gripe se vá embora e te deixe novamente com a energia que te é habitual!!!
Então que diria eu????
Estou toda amassada...e ainda bem disposta!
É preciso encontrar o humor mesmo onde parece não haver razão para rir...
As melhoras, beijinhos.

5:48 da tarde  
Blogger Kalinka said...

Há quem diga que o Carnaval são 3 dias...sejam lá os que forem, mas na rua a mim ninguém me apanha! No entanto, gosto de saber das tradições do nosso País e...li que de encontrões vive também o Carnaval de Cabanas de Viriato,
onde a «dança dos cus» mantém viva
uma tradição nascida em 1865.

E, uma foto da minha Catarina, vestida de palhacito.
Convido-te para espreitares a minha «palhacita»!
A avó comprou os vários tecidos a metro e foi confeccionado a olho, para no dia, ser uma surpresa para a neta, que adorou...

Sinto-te muito em baixo, abatida fisicamente, muito sinceramente do fundo do meu coração desejo as tuas melhoras. Beijos.

12:16 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home