sexta-feira, setembro 15, 2006

Desistir

Um dia perguntaste-me o que faria se morresses. Respondi-te com um nó na garganta, que desistiria de viver. O silêncio e a perda resumidos num gesto. Concentrados numa única palavra: Desistir.
Lembrei-me desta conversa hoje e agora, e recordo igualmente outras pessoas que me dizem muito ou que foram e continuam a ser para mim, referência obrigatória.
Lembrei-me de ti com quem falei ainda há pouco. Sentado no mármore do banco improvisado, à espera. E revi-te. Os ombros curvados sob o peso da vida. O semblante triste. No fundo do olhar procuro uma réstea de entusiasmo, a sombra de uma travessura que espreita, e apenas encontro a desilusão e o cansaço. A vontade de desistir que tanto me assusta. Os braços caídos. O querer amordaçado por amarras e mordaças.
Depois ... voltei atrás, e recordei que ela também desistiu. Nunca antes o havia feito. Uma vida construída com a força de uma vontade de ferro. Contra tudo e contra todos se necessário fosse. Remando contra a maré ... quantas vezes, e tantas outras com ventos contrários ...
E no fim - no fim a consciência de que nada mais havia por que lutar. Apenas lhe restava desistir. E ao desistir, a morte ganhou terreno - avançou onde já não havia barreiras. Avançou, e vitoriosa, arrebatou-a.
Tenho medo dessa atitude. Dessa vontade de desistir. Dessa abertura que liberta o caminho à derrota e à morte.
Tenho medo de mais uma vez não ter os meios para a combater. Porque não está nas minhas mãos. Essa luta não é minha. E no entanto, conheço esse sentimento. Sei que um dia poderei vir a senti-lo. Sei que um dia posso soçobrar perante algo que não posso combater. E só me restará um caminho: Desistir.

7 Comments:

Blogger wind said...

Prosa muito intensa e forte.
Já senti isso muitas vezes e muitas vezes me ergui.
Um dia talvez como tu, algo aparecerá que não me deixará seguir o caminho para agarrar a corda para me levantar e aí só terei de desistir.
beijos

10:51 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Não, não consigo escrever nada AQUI.

8:20 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Desistir agora, NUNCA! Agora que com os anos da vida apreendemos, vamos viver os restantes com a sabedoria e paixão que temos! Até um dia…

11:30 da manhã  
Anonymous Scorpshine said...

Adorei...
Hoje estou com muito pouco tempo,mas logo que possa volto aqui para ler tudo!

5:01 da tarde  
Blogger Éme said...

Triste, embora bonito.

8:15 da tarde  
Blogger Noel Santa Rosa said...

Ah amiga,
Quantas vezes já, não finjo,
Senti essa sensação que nos derrota,
Essa vontade imensa de desistir...
Mas sempre que a pressinto, olho-a a rir
E sem boas maneiras abro-lhe a porta,
Sacudo-a de mim e cerro os dentes,
Cerro os punhos e grito como os dementes:
Venha lá o que vier,
Vale a pena sempre viver!

9:41 da tarde  
Blogger marakoka said...

um sentir que entendo muito bem...
psstt não desistas
jocas maradas

7:36 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home