terça-feira, setembro 05, 2006

Sonho, ou não?

As janelas abriam-se sobre o vale. O som que ouvia era um misto de chilreio e arranhar de cigarras que cortava o silêncio. O ar era puro e fresco - tão puro e tão fresco como a água cristalina que brota das fontes de montanha. A manhã - ainda menina.
Perante esta paisagem sentia-me tão pequena. Descomunalmente ínfima quando comparada com o que a natureza me oferecia.
Sentei-me naquela cadeira que parecia estar ali à minha espera. O corpo perfeitamente encaixado nos seus contornos. O Sol, por detrás de mim ainda, apenas fazia sobressair algumas tonalidades, tornando-as mais claras e brilhantes. As pedras polidas do caminho que circundava a casa, reflectiam-na na perfeição. Quase espelhos onde se mirava o céu.
Lá dentro no quarto, os passos quase se não ouviam, abafados pela madeira do soalho. A voz cálida, soava baixinho como sussurros de amor ditos ao ouvido.
Os olhos foram pesando, a batida do coração espaçando-se, os pensamentos enovelando-se - perdendo o nexo.
Deixei que a cabeça reconhecesse o conforto do espaldar da cadeira. Perdi-me no vazio de um sono desejado.
E sonhei ...
... que eram teus os passos que ouvia
... que era tua a voz doce que embalava o meu sono
... que eram tuas as mãos que percorriam o meu cabelo
... que era no teu corpo que enroscava o meu
... que o silêncio era apenas interrompido pelas doces palavras com que nos amávamos
Acordei já o sol ía alto. Um círculo de luz desenhado aos meus pés. Não na varanda, mas na madeira do chão do meu quarto. A persiana meio aberta deixava entrar aqueles raios que desenhavam sonhos.
Não havia chilreio de pássaros nem o arranhar insistente das cigarras. As almofadas da cama tinham sido o encosto perfeito para o sono.
Virei-me de lado.
Olhei-te enquanto dormias, e com um sorriso enrosquei-me no teu corpo para adormecer de novo.

12 Comments:

Blogger augustoM said...

Sonhar o desejo, ou o desejo que se tornou realidade.
Já estã abertas as inscrições para o próximo jantar.
Um beijo. Augusto

1:38 da tarde  
Blogger wind said...

Com um sorriso te leio e aqui fico a pensar:)
beijos

1:46 da tarde  
Blogger Paula Raposo said...

Um não sonho...Beijos.

2:22 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Depois de ler este texto, fico sem palavras. (Sonho lindo).

2:41 da tarde  
Blogger José said...

Comandaste a vida, ou não?
Descreves uma sensação de pureza e bem-estar que mexe mesmo com quem te lê, levando-nos a sonhar!
Beijos.

2:43 da tarde  
Blogger caraecoroa said...

Virei-me de lado. Olhei para aqui. E encantada fiquei.

7:22 da tarde  
Blogger Era uma vez um Girassol said...

Belo sonho...Valeu!
Escrever assim é uma dádiva, requer muito cuidado e entrega, para que a imagem por nós desenhada seja gémea da tua...
Bjinho

8:48 da tarde  
Blogger T. said...

Que bom sonho! Que boa realidade! Ambos enroscados um no outro...
És uma sortuda!
:)

11:25 da tarde  
Blogger Teresa David said...

Este é daqueles textos que sabem bem ler, pela paz e ternura que os trespasse, e ainda por cima bem escrito.
Um abraço
Teresa David

11:49 da tarde  
Blogger AS said...

Dulce, acho que ainda agora tu própria terás dúvidas se foi sonho!...

Belissimo texto...

Um beijo

2:17 da tarde  
Blogger anatema said...

Amiga Dulce. Te mando un abrazo.

3:31 da tarde  
Anonymous alexanre said...

Sonho? Realidade? Só tu o sabes, mas que é bom ler-te lá isso não haja dúvidas...
beijo

10:51 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home