segunda-feira, setembro 04, 2006

Se

Se a aragem
reconhecesse o meu rosto
Se o espaço
reconhecesse a minha presença
Se a gravilha
reconhecesse o meu peso
Se a folhagem
reconhecesse a minha sombra
Se os sons
reconhecessem os meus passos
Se eu ...
indiscutivelmente presente
me revelasse,
encontrar-me-ía,
por fim.

12 Comments:

Blogger Ana Fundo said...

Já estás a revelar-te...lindo como sempre :-)))
Beijos e bom regresso
Ana

9:54 da manhã  
Blogger Paula Raposo said...

Se...muito bonito. Gostei. Beijos.

10:47 da manhã  
Blogger luis manuel said...

Se... inevitavelmente.
Se, despojados do eu, mais do que qualquer coisa.
Esperar. E a pouco e pouco, oferecer o tempo que transforma o nosso se(r).
E sem espanto, sem a ansiedade do nosso quotidiano, encontrar o verdadeiro EU.
Aquele que se reflete nos outros, que é reconhecido para além do rosto, do peso, da sombra ou dos passos. Reconhecidamente presente e revelado.
Poderá ser assim, se ...

Um beijo, amiga

11:43 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Se...eu conseguise escrever assim, respirar desta maneira...
Assim vou deixando OBRIGADO(S). Tão bom ler esta prosa!

1:30 da tarde  
Blogger wind said...

Poema cheio de ritmo, uma catarse tua novamente e por favor...revela-te como te revelas aqui:)
beijos

1:33 da tarde  
Blogger axadresado said...

ONDE MELHOR NOS REVELARMOS SENÃO NAS PALAVRAS?
BJS

9:18 da tarde  
Blogger Era uma vez um Girassol said...

Sempre te revelaste...
Um ser muito especial!
Por isso aqui venho.
Bjinho

9:32 da tarde  
Blogger aldina said...

que todas as revelações surjam no caminho das palavras sentidas e a terra e os céus nos ensinem a ouvi-las corajosamente!

até breve

9:57 da tarde  
Blogger Paulo T Pires said...

Estava a navegar pelos blogs, e neste parei...
Se por vezes conseguíssemos revelar-nos a nós mesmos...
Até um destes dias...

11:22 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Se eu...
estava sempre presente.
Encontrava-me, DENTRO DE MIM!

12:41 da tarde  
Anonymous moedadetroca said...

Assim, fica o convite para nos visitares.

2:37 da tarde  
Blogger Miúdo said...

Ouve-se música nas tuas palavras.

Continua sempre assim, tão inspirada.

Cumprimentos,
VdR

11:51 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home