terça-feira, maio 16, 2006

Conquista

Dispo a tristeza inútil que me invade.
Resumo a minha vida num só beijo.
E, em frémitos de sangue e mocidade,
Ascendo para além de quanto vejo.

Ateia-se a vertigem da ansiedade
E perco-me nas brumas do desejo.
Mais para além da vida e da saudade,
- Fulgor de estrela em fúlgido lampejo.

Ergo nas mãos a lança da vitória
E corro pelos céus, ébrio de glória,
Abrindo ao Sol as asas da alegria.

E canto na certeza do porvir,
Que todo o mundo é meu e eu vou partir
À conquista dos reinos da poesia!

José Carlos Ary dos Santos, "Obra Poética", Edições Avante, Lisboa, 1994, p.431

9 Comments:

Blogger escrevi said...

Gostei muito de ler.
Foi uma boa escolha.

Um beijo.

2:52 da tarde  
Blogger Paula Raposo said...

Adoro Ary! Diz sempre, sempre o que eu penso e não sei dizer! Beijos.

5:23 da tarde  
Blogger Joao said...

Um dos meus poetas preferidos :)

gostei muito de passar por aqui

Deixo-te um beijinho

5:41 da tarde  
Blogger wind said...

Também tenho esse livro e ando sempre a relê-lo:) Este poema é de uma beleza e força incríveis. beijos

8:01 da tarde  
Blogger AS said...

Um belissimo sineto do Ary dos Santos, que permanece entre nós através dos seus poemas...

Um beijo Dulce

9:09 da tarde  
Blogger luis manuel said...

Dispo a tristeza inútil que me invade...

Após a flor de girassol, e o olhar de encanto sobre o mar, o barco vai de saida... e com ele o canto da certeza esvoaça de alegria, numa vertigem de sonhos. A confiança numa conquista para a própria vida.

Respiro fundo, e assumo uma alegria interior por estar aqui a "viver" estes momentos, e desejar muito mais.
Um beijo, amiga

10:26 da tarde  
Blogger Helder Ribau said...

tenho saudades tuas... e das tuas visitas tambem... continua a ser muito bom o regresso ao teu blog

11:51 da tarde  
Anonymous Friedrich said...

Nas palavras sempre simples, formam este soneto, de extrema beleza e força, como o Ary tão bem lhe sabia incutir. Têm sempre vida!

Beijos

1:55 da tarde  
Blogger jorgesteves said...

Também, de vez em quando, pego esse mesmo livro para (re)ler Ary...
Um (sempre) prazer!
amizade,
jorgesteves

6:14 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home