sábado, maio 06, 2006

Amizade


Mais uma vez os amigos me ocupam o pensamento. Para mim é um tema caro - um assunto de extrema importância - talvez porque não os tive durante a maior parte da minha vida. Culpa minha concerteza pois me encontrava fechada aos outros, encerrada numa clausura que escolhi e onde apenas a família tinha o direito de entrar.
Quando era adolescente, lembro perfeitamente um certo dia em que viajava como habitualmente de comboio e pensava com os meus botões nessa questão da amizade e da ajuda aos outros. Lembro-me de ingenuamente pensar que gostaria de ter como profissão algo que me aproximasse dos demais e me permitisse ajudá-los quando precisassem de ajuda.
Não tenho qualquer parecença com Madre Teresa nem física nem de objectivos, mas sempre existiu em mim uma necessidade de me relacionar com os outros numa base de entre-ajuda.
Profissionalmente não enveredei por uma área que me conduzisse a esse fim, mas ponho-o em prática nas minhas relações diárias com as pessoas que conheço e mais ainda com aquelas de quem me orgulho de ser amiga.
Não quero, nem nunca quis ter um rancho de amizades. Para quê? Para ter sempre com quem sair? Não é assim que vejo as coisas.
A amizade é um "investimento" que dá trabalho mas também um enorme prazer. É preciso "cultivá-la", e ponho esta palavra entre aspas porque é semelhante a uma planta frágil. Se não a tratarmos bem, se não a regarmos, se não a protegemos, à semelhança de uma frágil flor, ela murcha e morre.
Aos amigos é preciso falar. Não deixar que caiam - e se cairem ajudá-los a levantar-se -, não deixar que pensem que os esquecemos. É preciso abraçá-los ainda que seja apenas através das palavras. É preciso mostrar-lhes que estamos presentes sempre que precisam de nós, e que não, não nos incomodam nada quando nos contam os seus problemas, porque nós um dia também iremos precisar deles e gostaríamos que eles também estivessem ali para nós.
E claro, tudo isto sem sacrifício, sem segundas intenções, como será lógico proceder com alguém de quem gostamos muito.
Ontem um amigo desabafava comigo e dizia-me a dado momento, "agora dizes tu: porque é que este chato me está a contar isto tudo?". Claro que não o pensaria, apesar de não poder fazer nada por ele, a não ser ouvi-lo. E às vezes é tão bom e tão importante ter quem nos ouça! Tenho tudo a ver, porque se sou verdadeiramente amiga ou pretendo sê-lo, quero também ser o ombro onde pode descansar e o ouvido atento e desinteressado das suas alegrias e das suas tristezas.
Alguns acharão esta minha sensibilidade um pouco exagerada. Eu tento acarinhar os meus amigos, porque são a minha mais-valia - um dos meus bens mais preciosos.
Por isso me desiludem os mal-entendidos, as palavras que não foram ditas por se partir de pressupostos errados. Por isso me magoou tanto, em tempos passados, o abandono da minha amiga Graça, trocando-me por um ideal que ela considerou mais elevado que a amizade. Por isso me entristecem os amigos que desertam não sei bem porquê.
Mas realmente ninguém é perfeito. Eu também não sou. Nada mesmo. Mas uma coisa eu sou. Quando me digo amiga, sou verdadeiramente Amiga.

(Foto em www.trekearth.com)

16 Comments:

Blogger escrevi said...

Tu és AMIGA, amiga!

Um beijo.

12:22 da tarde  
Blogger Penélope, a Janela said...

não acho a tua sensibilidade de modo algum exagerada! aliás, aplaudo-a! eu também sou próxima dos meus amigos, muito mesmo. somos uma rede de entreajuda, estamos sempre lá uns para os outros, aconteça o que acontecer! e é vbom saber que ainda existem pessoas, que tal como nós, dão muita importância à Amizade! ;)

1:30 da tarde  
Blogger wind said...

Ler o que tu escreves geralmnte toca-me sempre. Só tenho 2 pessoas amigas. Mas amigas mesmo! Por elas faço tudo, assim como sei que se for preciso, estão lá.
Sempre tive muitos conhecidos e tenho, mas como sou muito fechada, bicho do mato e com um feitio um bocado difícil, temho estas duas amizades com quem partilho os momentos bons, maus, o dia, os casos amorosos, o trabalho, enfim, a vida. beijos

2:11 da tarde  
Blogger Ana Fundo said...

Dulce,
Eu tenho um prazer enorme de te ter conhecido, e de te considerar uma grande e doce amiga...
Estou sempre cá para o que precisares, e tu sabes disso, não?
Tu és daquelas pessoas de quem se tem orgulho de ter como AMIGA.
Beijinhos
Ana Paula

2:31 da tarde  
Blogger zecadanau said...

Pois eu peno exactamente da mesma forma, portanto...
Amigos poucos... mas BONS, como diz o rifão.

Um @bração e bom fim de semana para ti.
Zeca da Nau

7:35 da tarde  
Blogger lena said...

Dulce , li-te entre lágrimas,
talvez pela sensibilidade que me encontro,
a um amigo não se pede ele dá porque ele está sempre presente, mesmo ausente
são poucos os que tenho, os verdadeiros, muitas vezes sem queres somo enganados nesse relacionamento em que tanto nos empenhamos, a amizade é o sentimento mais puro e nobre que conheço,
precisei deles e quando olhei para o lado senti-me quase abandonada, restavam os de muito longe, que com uma simples mensagem me encorajavam, de quem mais precisei por estar relativamente mais perto e que contactava diariamente, quase que não tinha notícias, como se o que tive fosse algo tão ruim, tendo já passado por isso , não sei se soube ser amigo, é nessas alturas que se sente a importância da amizade
o teu texto está excelente, cheio de emoção que me envolvem e acabaram por me animar, embora também saiba que não sou perfeita, sei ser verdadeira amiga,
desculpa escrevi demais

beijinhos e um abraço de ternura doce menina

lena

9:22 da tarde  
Blogger luis manuel said...

O relógio que aumenta a cada hora que mostra, a insónia que resiste, será mau companheiro nessas ocasiões. Nada pior do que ir vendo o quanto tempo passou e o quanto falta para vir.
Nem o pensamento se detem no presente, olhando ao passado e sonhando com o futuro.

Estar no mundo sabendo que seguimos um caminho unico e diferente, mas que não nos afasta do mundo dos outros.
E nesse sentido, cultivar a amizade é um bem precioso. Leva-nos ao encontro dos outros. Compreender que não temos que nos proteger mutuamente, mas sim de nos estimularmos a cada um concretizar o confronto consigo próprio. Nessa alegria de conquista, a amizade é compensadora. E verdadeira, sem as segundas intenções.
É preciso "regá-la" - pois isso é !


Um beijo, Amiga

10:59 da tarde  
Blogger Su said...

eu tenho resmas/paletes/granadas de defeitos...mas qd sou amiga sou até à exaustão...sempre..até ao fim..o meu:)
jocas maradas de tempo

12:11 da manhã  
Blogger anatema said...

Amiga Dulce. La amistad es uno de los bienes más preciados que tenemos y hay que luchar por conservarla, aunque para ello tengamos que doblegarnos o ceder. Todo, menos perder un amigo.
El nos lo agradecerá. Seguro. Todos somos sensibles a la amistad.

Un beso.

12:38 da manhã  
Blogger mni said...

A M I G A.

8:01 da tarde  
Blogger Anatema said...

Besos para ti. Con más flores.

12:57 da manhã  
Blogger jorgesteves said...

Um enternecedor poema à (importância da) Amizade! Como diria Horácio 'quando estou alegre, nada terei de melhor que um amigo'!...
abraços,
jorgesteves

4:35 da tarde  
Blogger axadresado said...

olá.
as amizades e os amigos são das coisas mais importantes da vida.
a amizade é como uma arvore, de vez enquanto precisa ser abanada para que as podres caiam.
bjs.

p.s.
tambem gostava de ser seu AMIGO.

8:53 da tarde  
Blogger saisminerais said...

Que bom é chegar aqui e descobrir que uma pessoa especial escreveu um texto especial... Com um tema muito especial mesmo, fala de algo que todos anseiam, mas muitos teem medo de o ser verdadeiramente, medo de serem absorvidos por algo tão bom como a "_ _ _ _ _ _ _"... Eu então adoro ser assim como descreves, sei que sou um fala-barato quando te vejo, quando aqui venho e venho poucas vezes... Mas uma coisa sei! Tu és realmente... Não, não estou com medo de escrever a palavra "_ _ _ _ _" é mesmo para ter-mos noção de quanta falta ela faz se não existir, um vazio tremendo de que muita gente tem medo também...
A M I G A Dulce deixo aqui um beijinho e o certificado de que também sou teu amigo e que o meu ombro tambem tem um espaço a ti destinado. Mas claro que bom seria nunca precisares amiga...
Beijinhos

12:09 da manhã  
Blogger marakoka said...

amei ler.te
jocas maradas

9:06 da tarde  
Blogger Marta said...

pois é...concordo plenamente...da amizade nasce td!ja tive algumas paxoes mas todas elas se iniciaram na amizade por isso nao acredito no amor a primeira vista...eu pelo menos nunca passei por isso! os meus amigos sabem k estou ca para qd eles precisarem! apesar de agora k passamos a uma fase mais adulta da nossa vida k estamos um pouco afastados fisicamente...continuamos a ter mt contacto!e eles tao aqui no meu coração...pelo k vivemos juntos,pelo inda acreditamos k possamos vir a passar...

10:19 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home