quinta-feira, abril 27, 2006

Espera-me

Nas praias que são o rosto branco das amadas mortas
Deixarei que o teu nome se perca repetido

Mas espera-me:
Pois por mais longos que sejam os caminhos
Eu regresso.

BREYNER, Sophia de Mello, "Mar", Caminho, Lisboa, 2001, p.48

6 Comments:

Blogger travessias said...

Por mais longos que sejam os caminhos, vou andando, lendo, meditando...

6:59 da tarde  
Blogger wind said...

Belíssimoooooooooo:))))) beijos

12:17 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

ESPERO-TE.
Serapião.

8:46 da manhã  
Blogger Paula Raposo said...

Regresso. Sempre. Beijinhos.

9:46 da manhã  
Blogger AS said...

O Mar sempre fascinou Sophia...

Um beijo...

3:30 da tarde  
Blogger marakoka said...

deixo.te jocas maradas de mar, de muito mar, de todo o mar

10:47 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home