sexta-feira, abril 21, 2006

Nocturnamente

Nocturnamente te construo
para que sejas palavra do meu corpo

Peito que em mim respira
olhar em que me despojo
na rouquidão da tua carne
me inicio
me anuncio
e me denuncio

Sabes agora para o que venho
e por isso me desconheces

COUTO, Mia, "Raiz de Orvalho e outros poemas", Caminho, Lisboa, 1999, p.42

7 Comments:

Blogger jorgesteves said...

Uma 'construção' perfeita...
jorgesteves

2:39 da tarde  
Blogger Paula Raposo said...

Belíssimo poema!! Beijos.

3:57 da tarde  
Blogger wind said...

Sensualmente belo!:) beijos

4:21 da tarde  
Blogger anatema said...

Preciosos versos Dulce. Un beso y feliz fin de semana.

6:58 da tarde  
Anonymous manuela said...

Delicio-me neste teu cantinho....adoro!!
Beijo

8:29 da tarde  
Blogger Joca said...

Excelente selecção...

10:43 da tarde  
Blogger zecadanau said...

Muito belo; A magia africana.

Um @bração do
Zeca da Nau

11:47 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home