quinta-feira, abril 13, 2006

Inicial

O mar azul e branco e as luzidias
Pedras - O arfado espaço
Onde o que está lavado se relava
Para o rito do espanto e do começo
Onde sou a mim mesma devolvida
Em sal espuma e concha regressada
À praia inicial da minha vida

ANDRESEN, Sophia de Mello Breyner, "Mar", Caminho, 2001, p.109

9 Comments:

Blogger Paula Raposo said...

Sophia de Mello Breyner...uma excelente escolha, Dulce! Beijos.

10:27 da manhã  
Blogger AQUENATÓN said...

Dulce :

Não está em causa as boas escolhas dos teus textos.Nunca esteve.

Nem sequer também, a qualidade das músicas e o teu gosto pessoal, indiscutivelmente também de qualidade.

O que acho, é que as músicas vocalizadas, abafam a meu ver, a mensagem dos textos que pretendes transmitir.

Isto é, a música não deve por isso, sobrepor-se-lhes.

Talvez a música instrumentalizada, fosse mais adequada para o teu blog.

Devemos tentar encontrar sempre, o equilibrio nas coisas.

Ou dizendo de outra forma, devemos ter sempre presente em tudo, " A REGRA DE OURO", da Antiguidade.

Desculpa a opinião.

Tens toda a liberdade de gerir a tua "casa", como entenderes.

Fica bem.

11:33 da manhã  
Blogger wind said...

Sophia e o seu mar, sempre. Belo! beijos

2:24 da tarde  
Blogger JPD said...

Olá Dulce

Eu rendo-me sempre às escolhas que reiterem a obra da Sophia. Não há nada a acrescentar. Tão cedo não teremos uma poetisa tão consensual e com uma obra tão meritória.~
(Terá sido editada a troca de correspondencia entre a Sophia e o Sena. Fica dica!)
Bjs

9:38 da tarde  
Blogger lazuli said...

irei comprar esse livro citado no comentário acima, de dois mestres da nossa literatura. Beijos e obrigada pela partilha deste poema da nossa grande Sofia.

2:12 da manhã  
Blogger travessias said...

...e eis a Páscoa. Um tempo de Ressurreição. Em todos os Sentidos.

9:30 da manhã  
Blogger AQUENATÓN said...

Que o nevoeiro se dissipe e sol regresse à tua praia...inicial.

Obrigado pela ternura e tbm pelos parabéns, neste aniversário cinzento...

Boa Páscoa.

Bji

11:36 da manhã  
Blogger lena said...

Sophia sabe [a]mar

ler Sophia acalma a minha alma


beijinhos para ti doce Dulce

lena

3:28 da tarde  
Blogger jorgesteves said...

Hoje li, reli e voltei a ler Sophia; não há forma de cansaço, mas há sempre 'ritos de espanto e de começo'...
jorgesteves

7:08 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home