segunda-feira, abril 03, 2006

...

"O amor é uma flor delicada, mas é preciso ter a coragem de ir colhê-la à beira de um precipício."

Stendhal, in Do Amor, Editora Pergaminho, citado na Revista Xis, suplemento do Público de 1/04/2006

14 Comments:

Blogger Paula Raposo said...

É. Mas não basta a coragem...Beijinhos, Dulce. Boa semana para ti.

12:34 da tarde  
Blogger lena said...

é isso Dulce

coragem ...


acredita que ía ao precipício


beijinhos muitos para ti


lena

12:56 da tarde  
Blogger augustoM said...

O amor é sem dúvida uma coisa delicada, mas colhê-lo à beira de um percipício, é já ter medo do amor, penso que devemos é saber recebê-lo quando aparece, o que muitas vezes não acontece.
Um beijo. Augusto

1:42 da tarde  
Blogger anatema said...

Estoy de acuerdo con Stendhal en una cosa, en que al amor hay que salvarlo de cualquier peligro. Pero siempre que la voluntad para salvarlo sea compartida.

De nada vale que sólo quiera rescatarlo del pelibro una de las partes....Acaba precipitándose al abismo.

Un beso Dulce. Me encanta tu sensibilidad, siempre a flor de piel.

4:05 da tarde  
Blogger escrevi said...

Mas... para lá do precipício está o mar... imenso...

Um beijo.

4:14 da tarde  
Blogger José said...

E saber regá-la!
Beijinho

4:17 da tarde  
Blogger AS said...

Amar é um acto de coragem! Acho que o precipicio não assusta!...

Um beijo meu

5:26 da tarde  
Blogger wind said...

Eu tenho dificuldade, porque tenho vertigens...:) beijos

5:39 da tarde  
Blogger jorgesteves said...

Como dizia o Poeta 'o Amor é uma vertigem, uma queda até ao centro da Terra'.
jorgesteves
http://www.contextualidades.blogspot.com/

6:30 da tarde  
Blogger Su said...

eu estou só à beira do precipício......voar...........

jocas maradas de mar

7:28 da tarde  
Blogger JPD said...

É isso mesmo, Dulce.
Acho a obra do Stendhal admirável!
Bela escolha
Bjs

9:42 da tarde  
Blogger luis manuel said...

O receio ou o medo do fim, impedem inúmeras vezes o encontro do amor.
Será no entanto, um risco pelo qual valerá a pena procurar.
Encontrar-se-ão as mais enriquecedoras experiências e também as mais dolorosas.
"Esse amor procurado, comparado a um mar imenso, atingido por muitas tempestades, mas cujos recursos~e horizontes são infinitos."
(está por lá escrito...)

Ainda os momentos que marcam a vida... os fugazes também.
Junto ao mar. O mesmo mar que altera a "face" em cada estação, sem no entanto, deixar de refrescar a vida.

Um beijo, amiga

11:15 da tarde  
Blogger AQUENATÓN said...

É necessário que uma força impreviSível
surja e se mantenha viva.

Bejo

10:31 da manhã  
Blogger Dulcineia said...

Querida Dulce.Também li o mesmo artigo.Gostei.De resto a revista XIS é para mim um modelo de publicação que muitos de nós deveríamos ler...Tráz sempre artigos muito interessantes.É engraçado descobrir que não temos em comum apenas o nome,algumas cançoes e poetas mas também publicações.Xi-coração,kida.

10:42 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home