segunda-feira, abril 10, 2006

Grito calado


Está belo o dia! O Sol brilha, deslumbrante ...
... mas a mim, só me apetece gritar!
O céu está de um azul intenso como naqueles dias de Verão que eu tanto gosto e desejo ..
... mas a mim, só me apetece gritar!
Deixo-me aquecer pelos raios deste Sol que tanto amo, absorver esta energia de que tanto preciso ..
... mas hoje, a mim só me apetece gritar!
É segunda-feira e como vocês já sabem, é um dia que eu gosto ao contrário da maioria das pessoas
... mas apesar disso, a mim só me apetece gritar!
Ontem escrevi um texto com a intenção de aqui o colocar hoje. Um texto escrito ao som do piano. Um texto que me fez sonhar. Mas hoje ...
... hoje só me apetece gritar!
e assim não posso colocá-lo aqui hoje, porque hoje ele não tem nada a ver comigo e com o que eu sinto. Hoje apetece-me ouvir a violência de um solo de bateria, ou o som de um intenso desafio de saxofone, porque hoje ...
... hoje só me apetece gritar!
Por isso desculpem-me os que me lêem. Habituados a embalar-se em belas palavras que tento escolher, envoltos numa aura de paz, por vezes também em profunda tristeza, mas tudo muito suave, muito doce ... muito como eu.
Desculpem-me porque o meu tom hoje é outro ...
hoje ... hoje só me apetece gritar!

(Foto em www.trekearth.com)

12 Comments:

Blogger escrevi said...

Grita!
Vai até à praia, não deve estar ninguém, e grita. Deita para fora esse grito que te sufoca.
Ou mesmo aí em casa. Grita. Se um vizinho vier saber o que aconteceu diz-lhe que te queimaste no ferro de engomar ou no fogão ou... mas grita.
Não deixes esse grito, que te etormenta, tomar conta das tuas entranhas, dos teus músculos, do teu coração.
Sabes que o grito, esse grito, ocupa uma parte importante de ti, e precisas de todo o teu "espaço" interior para viver e para amar.
Grita amiga, sem medo, sem vergonha, grita que a seguir vais sentir-te mais leve.

Um beijo grande.

2:29 da tarde  
Blogger jorgesteves said...

O nosso sentir será, talvez, irmão do mar: ora se delita, azul perdido, em lânguidos abraços de espuma ao morno da areia, ora se revolve, escuro das entranhas e grita, ululante, ao vento. Da mudança gera ele a Vida, supomos nós...
(amanhã voltará o sol...)
jorgesteves

2:51 da tarde  
Blogger wind said...

Entendo-te, também tenho dias assim. Então grita e com força! Se não podes em casa e se guias faz como eu, mete-te no carro guia, fechas a janela e dá muitos gritos. Acredita que alivia.) Ou então vai a uma praia onde não esteja ninguém e grita! Força:) A fotoestá espectacular! beijos

5:46 da tarde  
Blogger lena said...

grita doce menina

há dias assim, onde o grito vive em nós a cada instante

amanhã é outro dia, que o sol chegue até ti e o vento doce te faça sentir o cheiro a maresia

beijinhos muitos para ti Dulce

lena

11:37 da tarde  
Anonymous Friedrich said...

E foi o que fizeste, precisamente com este texto bem delineado entre caracteres uns agressivos outros doces e outros ainda com a indiferença do seu valor, porque não dizem nada sozinhos ou separados dos seus rivais, mas apenas se complementam… São gritos que eles expressam, cada vez que bateste nas teclas do keyboard, porque ele há dias assim, apetece-nos gritar no meio do silencia prostrado enfrente ao monitor que mostra cada letra, cada palavra como esse grito silencioso da nossa revolta. Porque nos apetece gritar… E gritamos com toda a força dos nossos pulmões!

Um beijo Dulce, para abafar o teu grito!

12:04 da manhã  
Blogger anatema said...

Grita con todas tus fuerzas y no te prives.

Te diré que conocí a un médico que lo aconsejaba. Decía: "Cuando te sientas mal, deprimida y triste, abre la ventana y grita al aire con todas tus fuerzas, verás qué bien te sientes..."

Dulce: Gritaaaaaaaaaaaa!!!!

12:49 da manhã  
Blogger luis manuel said...

Seja assim mesmo.
Apetece gritar...!
Porque o sonho, os sons melódicos, a tristeza e a alegria, a luz do Sol e o mar, se viram ou reviram, em desejo ou repulsa.
E a paz surge suavemente. A doçura do gesto, transforma-se em palavras.
E já não há grito.
Ou talvez se torne num grito mudo.
Num sopro de vento, trazido por mais um belo dia, onde o Sol brilha, deslumbrante.

Um beijo, amiga

1:00 da manhã  
Blogger AQUENATÓN said...

E eu grito dentro de mim... e o eco ouve-se muito longe ... mais longe que o infinito ...

" Eu sou igual a ti ... " ( sem música de Jorge Palma )

BJi

1:27 da manhã  
Blogger saisminerais said...

Amiga Dulce, não estou de acordo com a ideia de ir auma praia deserta e gritares, e tu sabes bem porque... se precisas de gritar,que seja uma pria. Mas com um vigia, alguem que te segure na mão para não perderes o control. No portinho da arrábida o grito faz eco... Pensa bem!
beijinhos

3:56 da manhã  
Blogger Paula Raposo said...

Tantos são os dias em que só me apetece gritar...e grito! Grito. Grito. Beijos, Dulce, tens sido uma verdadeira Amiga e isso é raro.

9:18 da manhã  
Blogger MDeus said...

Espero que hoje já tenha gritado tudo e se sinta melhor, gritar faz bem, muito bem mesmo, mas depois vem a calma...
Beijinhos.

12:20 da tarde  
Blogger Choninha said...

Há dias assim. E quando apetece gritar o melhor a fazer é soltar o grito, não deixá-lo dentro de nós a criar raízes. Tudo passa... vais ver que sim...

6:29 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home