sábado, abril 08, 2006

Parece que estou sempre a falar do mesmo...

Há um prazer especial em viver cada manhã.
Como se de outra oportunidade se beneficiasse.
Como se de um recomeço se tratasse.
Em cada dia ...
Como se uma nova etapa se pudesse vir a desenrolar.
Como se se pudesse mudar de vida.
Em cada novo dia...
É este o encanto das manhãs. Um convite em cada dia Que se aceita ou se recusa.
Que se ignora, na maioria das vezes.
Recordo um dos meus filmes de culto - "All that Jazz". O protagonista, num permanente diálogo com a Morte, inicia cada novo dia de dupla forma: enfrentando a sua morte eminente com um sorriso e encetando em cada manhã um novo diálogo com a Vida. "It's show time!!", repetia em frente ao espelho, como se a vida fosse um permanente espectáculo. Em cada dia um novo desafio.
O que nos faz correr todos os dias? O que nos faz viver de um modo leviano e breve os pequenos grandes momentos das nossas vidas? O que nos faz desejar sempre mais e mais, enquanto o tempo passa por nós, cada vez mais rápido, fazendo-nos desconfiar até do bom funcionamento dos relógios?
Ainda ontem era Natal. Ainda ontem passeava com a minha mãe pelas rua. Ainda ontem tinha 40 anos.
Ontem. E do ontem dá-se um salto para a Morte - tão mais perto em cada dia que passa.
E tanta coisa por fazer ... e tanto sonho por realizar ainda ...
Ainda me falta plantar uma árvore. E a Morte à espreita.
Ainda me falta escrever um livro. E a Morte à espreita.
Ainda me falta ... E a Morte à espreita.
"It's show time!!!!!"

13 Comments:

Blogger zecadanau said...

Um belo texto para se escrever numa manhã como a de hoje. Gostei; também me sinto assim, e AMO solenemente as manhãs...cedinho.

Um @bração do
Zeca da Nau

12:27 da tarde  
Blogger wind said...

Adoro ler o que escreves, porque meidentifico bastante. Também vi esse filme era eu adolescente e nunca o esqueci. Tenho 42 anos e já vejo o tempo a passar por mim e a não conseguir fazer certas coisas que desejava fazer. Sonhos ainda os tenho, não sei é se tenho tempo para os realizar.Por acaso já plantei uma árvore, mas issso foi com crianças:)Casar e filhos, nunca quis, sou demasiado independente. Escrever um livro está fora de questão, não sou escritora.lol.Ainda tenho mãe, mas vive há 7 anos no Brasilcom o meu padrasto, só cá vem ver-me nas férias. Ao contrário de i, quando posso, adoro dormir e gosto é da noite, navegar em pesquisa, ver filmes, ler...E com isto fiz um testamento:) beijos

12:38 da tarde  
Blogger lena said...

adorei passar ler e pensar

o que nos leva a tantas corridas?

não sei, sei que devia pararar um pouco, é urgente que o faça, mas ainda há tanto para fazer ...


beijinhos para ti doce menina

lena

12:43 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Mesmo que não escrevas o livro (mas escreves aqui, muitas vezes, e é bom) mesmo que não plantes a árvore sabes que, fizeste bem o teu papel na Vida.
Um fim de semana em Cheio.
Serapião

1:39 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Doce Dulce
..."Show must go on."

É assim que tantas vezes
entramos em palco...com tanta
coisa ainda por fazer lá fora.
Lá fora...onde a vida é real
mas que tem de ser levada neste
"go on" que tem de ser vivido com
todas as nossas forças...mesmo não sabendo por onde elas foram.

Um abraço.
querida Dulce.
A.

2:05 da tarde  
Blogger Paula Raposo said...

A mim falta-me...plantar a árvore...e ser feliz! Beijos, Dulce.

3:23 da tarde  
Blogger escrevi said...

A morte espreita-nos desde o dia em que somos concebidos.
Faz parte da vida. É como o nascimento, ao contrário.
Ao nascer chegamos, ao morrer partimos...
Todos os dias são potencilmente o último.
Porra, detesto que fales de morte!

Não mando um beijo, estou zangada!

3:28 da tarde  
Blogger Helder Ribau said...

tinha saudades...

ditosecontos.blogspot.com

12:09 da manhã  
Blogger saisminerais said...

"It's show time!!!!!"
no teu blog.
Amiga Dulce quando te leio, sinto cada palavra como se a etivesses dizendo, citando ouço a tua voz meiga e lembro-me das tuas feições lindas de uma mulher serena e ainda uma jovem. De tal forma que quando falas em plantar a arvore, só pode ser daqui a quarenta anos ou mais..."It's show time!!!!!" essa do livro sim, estou de acordo, venha ele pois quero ler e possuir assinado por ti e de preferencia com dedicatoria pessoal.
olha minha linda aminha vida é um espetaculo com 48 anos.
beijinhos e quando fores plantar a arvore, se por acaso axares mesmo que ja é tempo avisa que eu ofereço-me para abrir a vala...
Beijinhos

12:53 da manhã  
Blogger AQUENATÓN said...

Oh Dulce !

Bjinhos

1:55 da manhã  
Blogger anatema said...

Hola Dulce. Siempre, siempre nos vamos dejando cosas por el camino. Aunque se haya tenido un hijo, plantado un árbol o escrito un libro. Siempre hay tanto qué hacer...

...y así se nos va la vida. La muerte cada vez más cerca.

Un beso amiga.

3:58 da tarde  
Blogger jorgesteves said...

Um olhar derramado como se fora folha perdida a acastanhar o Tempo ao sabor da brisa de Outono...
Espero, depressa, a Primavera regresse!
jorgesteves

2:15 da tarde  
Blogger José said...

Em cada manhã há uma voz que me faz renascer!
Será que tu não tens uma, Dulce?
Tambem digo porra! Sempre a pensar no que é mais que certo! Vamos viver as incertezas.
Hoje tb não há beijo!

2:33 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home