sábado, abril 15, 2006

Folhas ao vento


Hoje queria ser folha e deixar-me levar pelo vento. Abandonar-me à sua vontade e pairar acima da Vida, acima da tristeza. Deixar-me levar nas suas asas e não pensar em nada, nada sentir. Ser folha apenas . Ora poisaria levemente no chão, ora me elevaria nos ares à medida da sua vontade. Os pássaros cruzariam o meu caminho, roçando-me com as suas asas. Olharia a cidade lá do alto - minúscula e iluminada - povoada de pequenas formigas em incessantes percursos. A vida lá em baixo reduzida a uma miniatura, enquanto eu estaria mais perto do sol. Mais perto do céu. Enquadrada no azul e rodeada destas nuvens de algodão.
Arrastada por uma corrente mais forte, percorreria a terra, vendo o mundo mas não fazendo parte dele.
Nestes dias de vento e já desde muito jovem faço sempre a mesma coisa. Caminhando contra o vento, fecho os olhos e percorro alguns metros assim, embalada no sonho de ser folha. Quando posso, abro os braços, jogo a cabeça para trás e sinto aquela emoção de criança voltar, deixando-me voar na corrente que me arrasta.
Hoje gostaria de novo de ser folha. Levada pelo vento. Retirada à vida. Acima da tristeza e especialmente longe de mim.
(Foto em www.trekearth.com)

12 Comments:

Blogger axadresado said...

lindo post!
gostei.
boa pacoa

12:32 da tarde  
Blogger wind said...

Que prosa tão poética! Mesmo triste está tão bonito. Era tão bom que em determinados dias pudessemos ser folhas e voar. Porque pensas que tenho o nick que tenho? lol. Beijos

12:33 da tarde  
Blogger AlucarD said...

lindooooo :)
gostei do teu blog!! vou voltar...
boa pascoa!!
beijos

1:08 da tarde  
Blogger Cláudia said...

Passei para desejar uma excelente Páscoa, de paz e tranquilidade.

Chocolates, amêndoas e afins... venham eles!!
Beijinho grande *** Fica bem.

1:28 da tarde  
Blogger lena said...

o vento...

um dia escrevi e reescrevi algo sobre ele, não tão bem como aqui o consegui sentir,nesta tua prosa poética, nessa folha outonal que desejavas ser, mesmo assim deixo-te o que reescrevi:


louco o vento
no sopro vibrante da melodia

cantou agitado
bailou nas folhas outonais

sóbrio
impertinente
flutuou nos sonhos

despertou preguiçoso
no jejum do dia
saudando a branca manhã

sem peso renova-se
sem medos, sem sustos
sopra no coração

poderoso e livre
torna a doce brisa amarga

engana de frente ou pelas costas
em gritos esfumados
arrasa cruel sem se deter

quebra pela força
a beleza da vida presente


l.maltez


foi assim que uma vez o senti

para ti beijos muitos meus, doce Dulce

e ua Páscoa Feliz

lena

3:43 da tarde  
Blogger Menina_marota said...

Vim desejar-te uma feliz Páscoa, cheia de paz e serenidade.

Um abraço ;)

6:19 da tarde  
Blogger Su said...

que a tristeza vá para bem longe, com o vento.....
jocas maradas de vento

8:15 da tarde  
Blogger vero said...

Uma Santa e Feliz Páscoa!
Beijinhos***

9:32 da tarde  
Blogger anatema said...

Qué delicia ser hoja para dejarse mecer por el viento y dormir...hasta convertirse en humos fructificador...

Buenas Pascuas para ti.
Saludos.

10:20 da tarde  
Blogger Amigo de Alex said...

Sublime a imagem de correr contra o vento para levantar vôo, afastando-te da tristeza, do quotidiano, da idade adulta, de ti...
Páscoa feliz.
Bj.

12:50 da manhã  
Blogger AS said...

Um belissimo texto, mas algo triste Dulce...
Amanhã o sol volta a nascer! Quero "ver-te" sorrir...

Um beijo e Boa Páscoa

1:03 da manhã  
Blogger Paula Raposo said...

Como gostaria de ser folha...tão leve, levada pelo vento e 'sobretudo para longe de mim...'. Obrigada Dulce, por saberes tão bem, que as tuas palavras poderão ser minhas, nossas. Beijinhos, amiga.

10:45 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home