sábado, abril 29, 2006

...

"O período da nossa vida a que se costuma dar o nome genérico de meia-idade é, para todos nós, um período mais ou menos crítico, durante o qual somos convidados ou obrigados a prepararmo-nos para descobrir o nosso verdadeiro nome. Aquele que existe - talvez soterrado - atrás de todos os outros que temos.
Por volta dos 40, 50 anos - um pouco antes ou um pouco depois, dependendo do trabalho que já tivermos feito -, temos de decidir o que queremos fazer da segunda metade da nossa vida.
A opção mais fácil é virar as costas a nós mesmos e deixar que sejam os acontecimentos exteriores a orientar-nos. (...) A outra opção - e essa exige todo um empenhamento - que, nessse período a meio da vida, nos é proposta é a de ousarmos participar conscientemente no nascimento de nós próprios. O que implica uma reavaliação profunda de estruturas em que estamos integrados, atitudes e comportamentos a que nos habituámos e que, apenas por isso, nos dão uma ilusão de segurança e conforto.

COSTA FÉLIX, Maria José, "Outra Porta", excerto de artigo em XIS, suplemento do Público de 29/04/2006

7 Comments:

Blogger wind said...

Concordo com a 2ª opção:) beijos

1:20 da tarde  
Blogger zecadanau said...

Uma excelente reflexão.

Um @bração do
Zeca da Nau

1:52 da tarde  
Blogger luis manuel said...

... bem há coisas que acontecem e não se explicam como, que se esperam venham a acontecer outra vez. Pois delas não se tem medo, não trazem terramotos...

... a outra porta, aberta quase em simultâneo...

... e conscientemente abordar o renascimento de nós próprios, de quem fomos, de quem somos e para onde queremos ir...

Um beijo, amiga

2:46 da tarde  
Blogger travessias said...

Adivinham-se grandes mudanças. Que sejam muito boas para ti. E que não nos privem da tua escrita. Bom fim de semana.

8:02 da tarde  
Blogger ana said...

em todos os momentos da vida temos de participar no crescimento de nós próprios!!! nascer aos 50 anos... fazer tábua rasa do que fomos???

10:41 da tarde  
Blogger contradicoes said...

Cara amiga acredita que nunca fiz esta reflexão. Por uma simples razão, tento
evitar sentir o peso da idade embora obviamente tenha modificado alguns comportamentos à medida que os anos por mim vão passando e já são algumas dezenas.E creia que isto acontece muito naturalmente sem qualquer tipo de esforço. Um bom fim-de-semana para si

11:17 da manhã  
Blogger Paula Raposo said...

Ou estou bloqueada hoje, ou não sei! Não concordo. Beijinhos.

9:52 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home