sexta-feira, maio 12, 2006

Ontem à noite saí ...


À noite a cidade respira fundo. Antes de adormecer veste-se de sombras e adorna-se de luar. O seu ritmo diminui. As suas gentes são outras. A vida frenética da manhã e do fim da tarde, como que a esgota, e quando a noite tomba quase se pode ouvir o seu suspiro de alívio - o seu retorno à calma.
Outras gentes passeiam agora nestas mesmas ruas. Gente menos apressada e bastante mais jovem e alegre. Os cafés que costumo frequentar albergam agora outras caras. Mais jovens. As conversas convivem com a música que se derrama no ar. Há namorados que se fundem no olhar. Há grupos que falam e bebem entre gargalhadas leves que planam como folhas secas.
À noite costumo ficar em casa, mas não hoje. Hoje era preciso sair. Fazer os caminhos que tão bem conheço, agora sob a lua cheia. Pisar com passos leves as mesmas pedras da calçada. Uma companhia teria sabido bem, mas as que eu escolheria estão bem longe. Foi um impulso que me trouxe para a rua. Agora, depois de um café no sítio habitual, regresso a casa. Não mais feliz - ou talvez sim - mas seguramente mais tranquila, respirando ao ritmo da noite, vestida por este manto branco de luar.

(Foto em www.trekearth.com)

14 Comments:

Blogger Paula Raposo said...

Sob o branco manto do luar...Beijinhos, bom fim de semana.

10:20 da manhã  
Anonymous manuela said...

"...Não mais feliz - ou talvez sim - mas seguramente mais tranquila"...é importante a tranquilidade....talvez seja o caminho para felicidade :).
Gostei, como sempre.
Beijos

11:00 da manhã  
Blogger escrevi said...

A mim a noite também me dá tranquilidade.

Um beijo.

12:58 da tarde  
Blogger wind said...

Tão calma esta prosa e tão tranquila como a noite te colocou:) beijos

3:49 da tarde  
Blogger jorgesteves said...

A Lua é (sempre) boa companhia!...
Gostei de ler este solilóquio vestido de prata...
jorgesteves

6:18 da tarde  
Blogger travessias said...

Um belo passeio ao Luar.

7:40 da tarde  
Blogger Ana Fundo said...

Um beijo ENORME :-))))

9:03 da tarde  
Blogger Su said...

jocas maradas de luas

10:50 da tarde  
Blogger Carmem L Vilanova said...

A todas as mamaes do Mundo,
A todas as mulheres que ainda nao o sao, mas que têm em si este desejo latente,
A todos os homens, filhos, esposos, irmaos, netos,
Aos que ainda têm a alegria desta presença-companhia tao especial,
Aos que choram sua ausência,
A todos que reconhecem a importância deste Ser Divino em nossas vidas,
Deixo muitos beijos, muitas flores e muitos sorrisos neste dia tao lindo!

12:06 da manhã  
Blogger Carmem L Vilanova said...

A todas as mamaes do Mundo,
A todas as mulheres que ainda nao o sao, mas que têm em si este desejo latente,
A todos os homens, filhos, esposos, irmaos, netos,
Aos que ainda têm a alegria desta presença-companhia tao especial,
Aos que choram sua ausência,
A todos que reconhecem a importância deste Ser Divino em nossas vidas,
Deixo muitos beijos, muitas flores e muitos sorrisos neste dia tao lindo!

12:06 da manhã  
Blogger JPD said...

Olá Dulce!

Há quem diga que a noite é a rainha das ilusões.
À noite as pessoas ficam mais generosas, mais afáveis, menos crispadas --Há violência, é certo, mas essa será outra questão... -- Há noite somos diferentes.
Acho este texto muito bom.
Bjs

12:31 da manhã  
Blogger sonhos sonhados said...

kerida Dulce

...que saudades.
de novo aqui contigo...
que bom!

palavras sempre belas.
som envolvente.

jinhux létinha.

1:14 da manhã  
Anonymous Friedrich said...

Há noite é quando estamos mais fragilizados, mas respira-se melhor, sonha-se mais e envelhece-se devagar, no entanto, é quando adormecemos para um novo acordar, e se é novo é porque o velho já não existe… Apenas ficamos com a sua recordação.

Beijos, Dulce!

2:06 da manhã  
Blogger zecadanau said...

Bonito texto. Eu também saí, andeia à procura de um cometa e... NADA!

Um @bração do
Zeca da Nau

11:30 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home