sábado, fevereiro 18, 2006

Sonho

Percorro esta estrada esburacada. De cada lado, campos verdes sem fim, aqui e ali salpicados de amarelo e branco. É uma estrada sem fim esta por onde caminho. De mãos dadas com um sonho.
Olho o Sol de frente. Ilumina-me. Aquece-me. Há um perfume no ar que me atordoa. Uma música que acompanha os meus passos. Respiro fundo para melhor sentir este ar fresco. Para me impregnar da Primavera que se adivinha já. Esvoaçam as roupas e os cabelos. Páro e abro o corpo a este Sol em que renasço. Não há palavras para descrever esta felicidade que me invade. Sinto-me viva. Sinto-me feliz.
Inspiro várias vezes com profundidade como se quisesse abarcar todo este ar, como ele me fosse vital. Mas ... algo tolda o astro-rei. Algo se interpõe entre nós. Abro os olhos e vejo algumas nuvens negras. Percorre-me um arrepio. Sinto frio de repente.
Volto-me e corro. Há pássaros brancos que voam sobre mim gritando como se me chamassem. Há desespero nesse grito. Como um soluço imenso que me invade.
Tropeço. Corro e tropeço de novo. O sonho deixado lá para trás. A música perdida na paisagem. Apenas este lamento inexorável que me persegue ... Até ao fim da estrada ... Para além de mim.

11 Comments:

Blogger AQUENATÓN said...

Ainda bem, que encontraste a felicidade... Estava escrito.

Há percursos que vale a pena percorrer, mesmo que seja longo o caminho.
O pior de tudo é o regresso com a alma a sangrar por dentro, esse vazio que agora sentes e a distância que só em pensamento consegues ultrapassar.

Lá trás ficou o grito, aquele rio sempre eterno e as lágrimas de Pedro e Inês.

Bj

12:11 da tarde  
Blogger wind said...

Tens de te libertar desse peso e voltar a sonhar:) Prosa muito bonita;) beijos

12:52 da tarde  
Blogger Zecatelhado said...

Muito bonito...apesar de tudo.
Texto seleccionado para o Cfé Expresso Tadechuva que sai amanhã.
Um @bração do
Zecatelhado

1:26 da tarde  
Blogger Su said...

belo...gostei de ler.te
o sonho está tatuado em ti
jocas maradas para além de mim

2:09 da tarde  
Blogger José said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

3:51 da tarde  
Anonymous d said...

...

4:30 da tarde  
Blogger José said...

" ...Sempre que o homem sonha o mundo pula e avança como bola colorida entre as mãos de uma criança."
Agarra esta constante da vida!
Como sempre um belo texto.
Bjs.

4:43 da tarde  
Blogger Paula Raposo said...

Para além de mim...Beijos, Dulce. E não, não existem cartas de amor ridículas.

7:30 da tarde  
Blogger Carmem L Vilanova said...

Lindo texto o teu, amiga! Fiquei sem palavras!
Beijos e muitos sorrisos para ti!

3:41 da manhã  
Blogger lena said...

lindissimo o teu texto Dulce

a Primavera não tarda aí e certamente que te vai fazer de novo feliz, continua o teu sonho, minha amiga

beijinhos muitos

lena

5:43 da tarde  
Blogger AS said...

Um texto belissimo Dulce!... Cada palavra toca na alma!

Beijosss

6:29 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home