quinta-feira, outubro 05, 2006

...

"Não vale a pena despedirmo-nos. Não vale a pena dizer quase nada. O que dizemos fica calado. Ouve-se só um pouco mais tarde. Aos poucos, baixinho, em segredo: são palavras que só nós sabemos."

PAIXÃO, Pedro, "A noiva judia", Livros Cotovia, Lisboa, 1998, p.36

6 Comments:

Blogger JPD said...

É sempre um enorme prazer reler o PP

4:35 da tarde  
Blogger wind said...

É isso!
beijos

4:42 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Tudo vale a pena, se a Alma não é pequena. Dizía o Poeta.
Digo eu.

4:45 da tarde  
Blogger A Rapariga said...

Pedro, já vieste aqui ler?

É assim: eu conheço a irmã do Pedro, e o Pedro mais que a irmã.

No Brasil ele teve um desastre a andar naqueles jeeps das praias e que o ia matando. O meu amigo Fernando estava lá.

Um dia ainda lhe digo para te convidar para um daqueles jantares que nos junta a todos...

Gostavas?

9:40 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Apenas nos ausentamos, corporalmente
Porque a mente, jamais se consegue desligar,
Mesmo dos nossos silêncios,
Que gritam tudo.

3:58 da tarde  
Blogger aldina said...

é muito difícil definir, e até identificar, o indizível, chega a ser dolorosa a dúvida sobre!

Até sempre

6:59 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home