sábado, julho 22, 2006

O jardim dos meus sonhos


No jardim dos meus sonhos a luz era ténue e os sons abafados. A noite caira, e era mágica como em qualquer jardim encantado, e era doce como o alimento dos deuses.
No jardim dos meus sonhos os pés enterravam-se levemente num cascalho macio que rangia sob o meu peso.
Os caminhos adivinhavam-se esfumados pelas trevas. As pontes sob o lago eram traços estilizados pelo luar, e dos patos apenas um surdo cacarejar se ouvia.
No jardim dos meus sonhos as vozes eram sussurros transformados em carícias e as mãos prolongavam-se por abraços de mil e uma noites.
No jardim dos meus sonhos contavam-se segredos e os sorrisos transformavam-se em estrelas.
Nos meus sonhos nasceu um jardim e nesse jardim floriu um sonho.

(Foto em www.trekearth.com)

5 Comments:

Blogger luis manuel said...

Nesse jardim, um sonho floriu.
Em silêncio. Como é necessário, ao espírito, ao coração.
Nos sonhos. Na vontade.
Em determinar um rumo, apontar um caminho.

Um beijo, aamiga

12:10 da tarde  
Blogger travessias said...

...e o sonho comanda a vida

2:38 da tarde  
Blogger wind said...

Uma prosa poetica lindíssima sonhada, transformada num jardim onde os sonhos dão flores estreladas:))))
Fizeste-me divagar.lol
beijos

7:15 da tarde  
Blogger lazuli said...

esse jardim encantado existe, está aí transformado na imagem, no vermelho junto aos matizes de cores quentes. A poesia brota de ti, mesmo em prosa. E o sonho é também próprio dos poetas...
Beijos

8:39 da tarde  
Blogger Paula Raposo said...

Um jardim de sonho e um sonho que é um jardim. É isso. Beijinhos, obrigada pelas palavras doces que me deixaste nas romãs.

3:07 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home