sábado, janeiro 06, 2007

As Janeiras


"Ó da casa cavalheira,
Escutareis e ouvireis
Duas meninas donzelas
Que vos vêm pedir os reis

Estes reis são aliados
a uma estrela da guia;
A estrelinha se escondeu
Aos pés da Virgem Maria"

Assim cantámos hoje as Janeiras. Pela primeira vez participei desta tradição popular. É costume na minha cidade reunirem-se os Coros e cantarem as Janeiras para a autarquia nesta noite de Reis. Nos jardins de um antigo palacete faz-se arder uma grande fogueira e ali se reune o povo para cumprir a tradição.
A noite estava fria e o local particularmente húmido. Apenas a alegria geral e a expectativa de reencontrar amigos e conhecidos tornava o ambiente caloroso. Muitos são os Coros participantes que se revezam no palco improvisado para o efeito. Depois de umas breves palavras de apresentação atacam-se os temas previamente preparados - dois ou três por participante.

"Eu hei-de ir ao presépio
E assentar-me num cantinho
A ver como o Deus menino
Nasceu lá tão pobrezinho"

O Conhecido Natal d'Elvas é um tema recorrente nestas andanças. Ou ainda este:

"Nesta noite Santa de candura
Toda a natureza é ternura
Os pastores correm todos a Belém
A adorar Jesus, vamos também "

Ao teminar a sua apresentação, cada Coro sobe as escadarias e é conduzido a uma ampla sala onde os espera uma mesa farta e variada. Por ali ficam então a confraternizar um pouco, e a aquecer-se finalmente com uma bebida quente ou um bom vinho. Depois, há que dar o lugar aos outros e partir. Numa breve passagem pela capela do solar, ainda alguns, aproveitando a boa acústica do local, entoam mais alguns temas associados à época.
Já se fazia longa a noite quando alguém nos chama para os transportes que nos conduzirão a casa. Pelo caminho canta-se ainda, mais um, e depois ainda mais outro tema que todos se apressam a entoar em conjunto.
Os sorrisos persistem até ao fim e agora já só, a caminho de casa, trauteio ainda baixinho ... "Vamos cantar as Janeiras, vamos cantar as Janeiras, por esses quintais adentro ... "

(Foto em www.trekearth.com)

16 Comments:

Anonymous Anónimo said...

vamos, às raparigas solteiras
Vamos cantar orvalhadas
******
*****
às raparigas casadas

Era tão bom que estas nossas tradições não se perdessem... Mas não vejo muitos jovens a participarem nestas andanças...

Bom fds
Beijo

2:37 da manhã  
Blogger blugaridades said...

Tradições que o tempo se encarrega de ir transformando e até apagando com o avanço implacável dos anos e das mentalidades. Na minha terra, ainda há uns resistentes que se opõem a que estes cantares, que vinham na noite de Reis, se vão perdendo. Há , no entanto, quem as registe para que outros lhes dêem continuidade. Gostei muito das quadras assim como dos textos que as acompanham. Bom post!
Bom Domingo! Beijinhos

9:58 da manhã  
Blogger Nilson Barcelli said...

Na minha aldeia (é Vila, mas eu acho-a aldeia) ainda persiste a tradição das Janeiras.
Grupos de crianças, para arranjar uns Euros, e grupos de associações, para angariação de fundos, percorrem as casas durante todo o mês de Janeiro.
Ferrinhos, pandeiretas, concertinas, saxofones, violas, etc., são alguns dos instrumentos que acompanham as tradicionais quadras, onde o nome dos moradores deve estar mencionado.
Obrigado pela recordação.
Beijos.

10:42 da manhã  
Anonymous poetaeusou said...

HOJE É O DIA DELE "O UTILIZADO"
E AINDA HOJE VIOLAM A SUA MEMÓRIA.
=================================
Vamos cantar as janeiras
Por esses quintais adentro vamos
Às raparigas solteiras
Vamos cantar orvalhadas
Por esses quintais adentro vamos
Às raparigas casadas
Vira o vento e muda a sorte
Por aqueles olivais perdidos
Foi-se embora o vento norte
Muita neve cai na serra
Só se lembra dos caminhos velhos
Quem tem saudades da terra
Quem tem a candeia acesa
Rabanadas pão e vinho novo
Matava a fome à pobreza
Já nos cansa esta lonjura
Já nos cansa esta lonjura
Só se lembra dos caminhos velhos
Quem anda à noite à ventura
in) Zeca Afonso
Do povo, por quem sofreste.
Minha porta está Escancarada.
Entra o Povo. Gente Séria.
Se pelos "outros" fôr Roubada.
Só podem roubar, Miséria.
poetaeusou
Vamos Cantar as Janeiraaaaaaaassss.
poetaeusou(semprearoubarespaços)

12:59 da tarde  
Blogger Paula Raposo said...

Há quarenta e tal anos, quando vim viver para o Monte Estoril ainda existia a tradição de se cantarem as Janeiras, às nossas portas. Entretanto, por aqui perdeu-se. Foi bonito recordar no teu texto. Beijos.

4:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

De um " local " diferente venho desejar-te um excelente Dia de Reis - com algum atrazo é certo - mas sincero.

5:09 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Venho deixar-te um Abraço. Pelas Janeiras, o Abril, a Avó, o espelho, leituras, as invenções de nós, filhas únicas, em tempos de bruma e censura. Que a gente possa passar essa memória, ao menos! Até que a voz nos dôa.

5:53 da tarde  
Blogger JPD said...

Se calhar estou profundamente errado, mas a importância das «Janeiras» está a desaparecer a uma velocidade tremenda.
:)

11:32 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Oh! Não te esqueças então de para o ano avisar! É que qualquer dia associa-se o dia dos reis àquele em que os hipermercados voltam a fechar-se ao Domingo.

Beijo.

(E as memórias?)

11:53 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Infelizmente é uma tradição que está a desaparecer rapidamente...a sociedade vai mudando e os costumes também. Infelizmente estas e outras tradições foram assustadoramente substituídas pelos longos passeios nos shoppings, para comprar o que não faz falta!
Ter versus ser. Tenho medo de saber quem sairá vencedor.

Beijo

12:05 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Volto a perguntar: Trocas os meus (cts) pelos teus ?

10:06 da manhã  
Blogger dulce said...

Poetaeusou:
O espaço é de todos, e o prazer de vos receber é todo meu!

À Paula:
Por aqui não se canta às portas. A Câmara apadrinha o evento e promove a apresentação dos inúmeros Coros q por aqui proliferam, neste dia de Reis. Para além desta apresentação conjunta há tb durante todo o mês de Dezembro um evento chamado "Do Natal aos Reis em Coro" com apresentações individuais em vários locais do concelho, desde igrejas, associações recreativas, centros de idosos e lares.

Ao Pedro Branco
Se fores da zona de Lisboa (agora não tenho presente) podes assistir a tudo isto para o ano. É apenas da outra banda do rio.
E as memórias ... estão em forno brando!

À Sandra:
Para serem mantidas, as tradições, é preciso q muitas vontades trabalhem nesse sentido. Infelizmente como dizes, a tendência é para o consumismo, e não para as coisas simples que nos dão prazer.

Anónimo das 10.06
Que invejoso!!! Tu tb os tens e sabes que por vezes são bem bonitos. Toca a puxar pela imaginação!

10:44 da manhã  
Blogger wind said...

Tão giro:) beijos

11:39 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Por vezes são bem bonitos. Mas são poucos.
E com este, aumento o teu nr. Gostaste ?

11:54 da manhã  
Blogger 100smog lda. said...

:) as janeiras são muito giras! no norte ainda se faz muito pena que poer cá se vai perdendo!!!

12:25 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Deixei-a por aí a jogar o elástico ou na conversa com a Morgadinha e o Henrique de Souselas; levei o banco preso ao dedo e fiquei com a percepção de angústias e medos que se adivinham serem pertenças de silêncios ainda por rasgar. Vou arriscar, muito baixinho, acompanhá-la, levando as minhas Janeiradas ao pé das suas e ir sussurrando por esses quintais adentro vamos...
Afectuosamente

10:19 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home