segunda-feira, outubro 09, 2006

Ausência

Alcança-me
uma
sombra!
Espessa
névoa que
conquista a
impaciência da
alma!

Falo da Ausência!
Daquele vazio de voz e de presença.
Falo da Ausência!
Mistura de vácuo e peso que tento ocultar com palavras reinventadas.
Falo da Ausência!
A ( de alimentar a esperança) U (de uivar na solidão) S (de saudade) E (de esperar em vão) N (de nunca mais) C (de calar o grito) I (de inventar-te) e A (da Arte da espera).
É dela que falo.
Da Ausência!!

14 Comments:

Blogger José said...

Onde nos maravilhas com as tuas palavras…
E com a tua forma de escrita reinventa da.
Não nos ausentes tu com as tuas palavras,
Por vezes tristes, mas belas.
Beijo GRANDE

2:46 da tarde  
Blogger Isabel said...

Lindo Dulce... gostei mesmo, mesmo muito, tão sentido que acabei por de rompão lembrar todas as ausências... na minha vida a mais forte foi a ausência de pais muitos anos...
E como eu Alimentava a esperança de eles chegarem...
Como eu Uivava de solidão à janela cada ves que eles depois de virem voltavam a partir...
Como eu Sentia Saudades a todo o s instantes...
Como eu Esperava em vão, e quando acabava uma esperança iniciava outra diferente...
Como eu pensava Nunca mais quero estar sozinha...
Como eu tentava Calar o grito, até que deixei de gritar...
Como eu Inventava, e até inventei outra mãe que acabou por se tornar real...
Como eu à falta de na falta da arte do amor depais desenvolvi a Arte de esperar por eles...

Sei que falavas de outra ausência, mas ausencia é ausência, o uivo é dferente a dor é a dor do vazio sempre...

Gostei muito de vir aqui, e virei sempre... vou ser visita presente e não ausente...
Conto com as tuas simpaticas visitas tambem...

Isabel

4:34 da tarde  
Blogger Carmem L Vilanova said...

Amiga, gracas a ti, o Eu Sei Que Vou Te Amar competa mais um ano de vida... Parabens a ti, e muito obrigada pelo carinho, pela cumplicidade, pela amizade e partilha destes 2 anos de existencia, com vontade de muitos mais...
Beijos muitos... :o)

5:16 da tarde  
Blogger A Rapariga said...

Maravilha!

Boa semana, Dulce

6:38 da tarde  
Blogger escrevi said...

Bonito mas muito triste.

Mas tu sabes que a ausência de que falas é temporária.
A certeza do retorno acontece em cada manhã.

Bjs.

7:28 da tarde  
Blogger Era uma vez um Girassol said...

A Ausência dói, corrói, deixa-nos mais empobrecidos ...
Gostei muito deste poema-texto.
Muito original e tão verdadeiro!
Bjs

10:01 da tarde  
Blogger Paula Raposo said...

Simplesmente fantástico!! Adorei! Beijos.

9:59 da manhã  
Blogger lobices said...

...pronto, por falar em ausência, vim aqui trazer a minha presença
:))
...um beijinho

11:31 da manhã  
Blogger Isa&Luis said...

Olá,

Lindo o teu poema , triste o teu lamento. Sorri!


Beijo grande

Isa

11:42 da manhã  
Blogger aldina said...

(A) manhã chega todos os dias
(U)nica sempre
(S)empre surpreendente
(E)nquanto distraídos cegamos
(N)a sua luz
(C)omplacente
(I)ntíma
(A) manhã chega todos os dias...

Até sempre :-D

1:05 da tarde  
Blogger Teresa David said...

mas por vezes a ausência é apenas um interregno...
Bjs
TD

1:19 da tarde  
Blogger axadresado said...

bela liçao.
lindo, como sempre.
bjs



sabado lá estaremos

2:06 da tarde  
Anonymous alexandreferreira14258@gmail.com said...

Alexandre ultimo
senhor
empenhado
numa
calorosa
indispensávamizade
******
a tua
querida amiga...
Beijinhos

3:12 da manhã  
Anonymous alexandreferreira14258@gmail.com said...

Amiga Dulce
Podes sentir ausencia de milhões de coisas, podes ficar ausente de escrever milhares de poemas, podes sentir falta de de tudo e de todos. Mas uma coisa não sentes de certeza absoluta, a ausência da minha amizade... Essa permanesce intacta e sempre pronta para te fazer esquecer o vazio.
Está lindo como poema e triste se te referes a ti própria.
Beijinhos
No proximo post experimenta em vez de ausência, talvez (abundância)!!!

3:26 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home