segunda-feira, junho 12, 2006

Coisas tuas

Levo coisas tuas
Para poder estar contigo
Na distância.
Para nunca te perder a companhia,
Mesmo não estando.
Levo gravado o teu gesto,
O pranto, o riso, e
(Ora inocente, ora picante)
O teu sorriso,
Que é a tua expressão,
O teu maior encanto.
E levo um objecto,
Teu pertence,
Como se o espaço tivesse autoridade
E o tempo nos afastasse ...

Como se fosse preciso ...

Margarida Faro in "Tantas mãos, a mesma Primavera", Oficina do Livro, p.31

8 Comments:

Blogger Ana Fundo said...

"Tenho um sorriso fechado na palma da minha mão...
Um sorriso que foi achado , no meio do chão..."
Lembras-te???
Ao ler este texto, lembrei-me desta música!!!
Beijos

4:31 da tarde  
Blogger DE PROPOSITO said...

'Levo coisas tuas'.
Alguém disse que nós levamos sempre um pouco de alguém 'que conhecemos'.
_Será que é mesmo assom?!...
Fica bem.
Manuel

5:34 da tarde  
Blogger wind said...

Nada afasta quando se ama:) beijos

6:06 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

O que levas, menina, que não nos contas ?

6:52 da tarde  
Blogger augustoM said...

Lever algo de alguém é como se levássemos parte dela, podemos sempre intimarmo-nos com o seu dono.
A música é o máximo e a presentação televisiva óptima

9:10 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

A distância afasta-nos.
Mas o tempo não.
Espero que leves sempre esse presente natalício.

12:03 da tarde  
Blogger lena said...

um levar gravado em cada verso, como se levasse parte de alguém

belo o que li Dulce

beijinhos para ti

lena

10:15 da tarde  
Blogger Su said...

adorei ler

tb levo coisas tuas

jocas maradas

10:40 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home