sexta-feira, fevereiro 24, 2006

Nono

Amor
faz de sol

adormece os pássaros
insones
no meu corpo

Amor faz de mar

e de mim um seixo húmido
nítido
brilhante

Amor
faz de lua

equilibra um barco
nos meus dedos
um nenúfar
a sombra de uma ponte

E sê a noite imensa
e sê o rio sem nome
o cavalo solto
a distância plena

LOPES, Teresa Rita, "Os dedos os dias as palavras", Figueirinhas, Porto, 1987, p.77

9 Comments:

Blogger wind said...

Sol, mar, lua, noite, cavalo, foi o que me sobressaiu neste lindo poema. As 4 primeiras palavras são de amor neste poema, cavalo é a liberdade:) beijos

3:19 da tarde  
Blogger Paula Raposo said...

Sim...amor, faz de mim tudo isso! Belíssimo poema. Para ti, Dulce, bom fim de semana e muitos beijos com amizade.

3:46 da tarde  
Blogger anatema said...

"Amor, faz de lua"

Amor, faz de lua e vento
faz de noite
faz de rio
faz de distância plena...


Distancia plena y absuluta

Bonitos versos.

Buen fin de semana. Besos.

3:47 da tarde  
Blogger José said...

... rio sem nome
o cavalo solto
a distância...

Lindo jardim de belas flores, este poema.
Um beijo.

4:13 da tarde  
Blogger AS said...

Dulce, mais um lindo poema que partilhas connosco....

Beijosss

5:13 da tarde  
Blogger saisminerais said...

ola minha querida amiga, venho deixar um beijinho agradecer tuas sempre simpaticas palavras, desejar que tenhas um bom fim de semana e brinca ao caranaval...deixo aqui uma dica saisminerais IV dreams
estou de saida vou até aveiro ver o mar a praia recarregar baterias
beijinhos

8:22 da tarde  
Blogger Wakewinha said...

O amor faz isso, mas infelizmente tanto mais... =(
Beijinho e bom fim-de-semana*

10:31 da tarde  
Blogger Zecatelhado said...

Muito bonito.

Um @bração do
Zecatelhado

9:17 da manhã  
Blogger lena said...

de novo Teresa Rita, num dos seus belos poemas
onde o amor consegue fazer tanto

lindo!


beijinhos meus, doce amiga

4:43 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home