sábado, janeiro 14, 2006

Na Mesa do Santo Ofício



Tu lhes dirás, meu amor, que nós não existimos.
Que nascemos da noite, das árvores, das nuvens.
Que viemos, amámos, pecámos e partimos
Como a água das chuvas.

Tu lhes dirás, meu amor, que ambos nos sorrimos
Do que dizem e pensam
E que a nossa aventura,
É no vento que passa que a ouvimos,
É no nosso silêncio que perdura.

Tu lhes dirás, meu amor, que nós não falaremos
E que enterrámos vivo o fogo que nos queima.
Tu lhes dirás, meu amor, se for preciso,
Que nos espreguiçaremos na fogueira.

José Carlos Ary dos Santos, "Obra Poética", Edições Avante, Lisboa, 1999, p.67

(Foto minha)

11 Comments:

Blogger Fernando B. said...

E eu digo-te, querida Amiga, que fizeste muito bem em recordar mais um dos Belos Poemas do grande Ary.

Beijocas,

12:22 da tarde  
Blogger wind said...

Também tenhoesse livro, mas é raro editar algo dele, porque se calhar sou egoísta, quero só para mim:) Belo poema, como só o Ary os fazia;) beijos

12:27 da tarde  
Blogger José said...

"É no vento que passa que a ouvimos,"


"Nada a não ser este silêncio tenso
que faz do amor sozinho o amor imenso.
Calai Camões Virgílio Shelley Dante:
o meu amigo está longe
e a saudade é bastante!"

Ary dos Santos

Eternamente belo, eternamente Ary
Um beijo e bom fim de semana.

12:36 da tarde  
Blogger José said...

Fiquei a ouvir os sons do poema, que me esqueci de falar nos tons da fotografia. Foto espectacular, muito bem conseguida. Parabéns à fotografa.

12:41 da tarde  
Blogger escrevi said...

Muito lindo.

Bjs.

1:33 da tarde  
Blogger Paula Raposo said...

Existem palavras que de tão belas não permitem que um vulgar ser humano diga mais alguma coisa! Beijos para ti.

10:58 da tarde  
Blogger EROS said...

Tu lhe dirás ...meu amor,
que enterrámos vivo o fogo que nos queima!

SUBLIME !

Bji

12:17 da manhã  
Blogger Duarte Temtem said...

Muito bonito, mais uma excelente escolha Dulce.

Bjs

4:46 da manhã  
Blogger lena said...

uma saudade: Ary

"É no nosso silêncio que perdura"

lindo!

como sabes escolher bem Dulce

beijinhos

11:17 da manhã  
Blogger estoycomountren said...

" y tú le dirás, mi amor, que yo me quemo y desespero en su frialdad e indifernecia"

1:34 da tarde  
Anonymous ferrus said...

Bonito poema do saudoso Ary...obrigado por esta partilha tão imensa, enorme, como ele o foi (é)! Beijos e boa semana

6:32 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home