quarta-feira, novembro 01, 2006

Manhãs claras

Na nudez dos sonhos
despidos de esperança
procuro a verdade insofismável
da tua ausência.
E quase esqueço
a pérfida clareza dos dias
em que,
tendo-te a meu lado,
vagueei solitária
pelas manhãs claras
e me perdi
no escuro dos caminhos!

TOSCANO, Ermelinda, in "Index Poesis", Ed. O Farol/Scala, 2006, p.73

12 Comments:

Blogger wind said...

Tristemente belo.
beijos

4:09 da tarde  
Blogger Anatema said...

"Teniéndote a mi lado, vagueé solitaria..."

Esa es una gran verdad que nos atenaza la vida, el día a día.

Un beso para ti, Dulce.

Por cierto, ¿cómo te ha sentado ese espléndido medio siglo que te contempla?

5:02 da tarde  
Anonymous poetaeusou said...

Sonhos Vazios.
Angustiante Procura.
Uma Presença Ausente.
Um Bombon.
S O S.
Como Adquirir Mais ?
poetaeusou(@sapo.pt)

6:12 da tarde  
Blogger mfc said...

Um poema de reparação...
Quando perdemos o que amamos é que vemos o quanto nos fazia falta.
Há que sermos mais atentos.

12:23 da manhã  
Anonymous poetaeusou said...

Desculpe Dulce.
S O S.
Correcção de endereço:
poetaeusou19@sapo.pt

12:30 da manhã  
Blogger Paula Raposo said...

A ausência sempre presente no Poeta! Beijos, Dulce.

7:25 da manhã  
Blogger Sandra Cardoso said...

Na procura do caminho certo, perdemo-nos por becos sem saída... mas sem eles, não seríamos o que somos hoje.

Beijo

11:30 da manhã  
Blogger aldina said...

A solidão acompanhada é como a luz acesa de dia!


Até sempre!

12:53 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Por vezes vagueamos por caminhos pérfidos, enganando-nos na procura, do que afinal estava ao nosso lado!
Mas nem sempre é assim!
Por vezes somos obrigados à procura, a tentar melhorar, a tentar mudar.
Raramente o sonho da mudança torna-se positivo. Ainda bem que há excepções.
Ainda bem que há sonhos nus que se cobrem de esperança e todas as manhãs ficam mais claras.

Também adorei este poema, beijinhos

6:05 da tarde  
Blogger Nilson Barcelli said...

A Ermelinda escreve muito bem.
Já li vários poemas dela e são todos muito bons.
Fizeste uma boa escolha, portanto.
Beijinhos.

7:56 da tarde  
Blogger Poetas Almadenses said...

Obrigada Dulce. Deixaste-me sem palavras ao escolher este meu poema para postar aqui no teu blog. Estou sensibilizada com este acto... e com os comentários. Deixo, também, aqui o meu agradecimento a todos vós. É em gestos como este, afinal tão simples mas que nos reconforta tanto, que eu colho a força necessária para ir sempre em frente. Um grande abraço poético! Para a Dulce e todos os outros.
Ermelinda

2:53 da tarde  
Blogger Simplicitas said...

E com este simples poema lá se encheu mais um coração... o meu! ;)

8:50 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home